sexta-feira, 26 de janeiro de 2024

A INFLUÊNCIA DAS SÉRIES NO TURISMO DA TURQUIA

Legenda para deficiente visual: card com quatro fotos. Da esquerda para a direita no alto o café turco servido na xícara; na direita copo de chá em vidro transparente. Embaixo na esquerda foto panorâmica no mercado das especiarias, estou no centro usando casaco laranja. Na direita estou usando jaqueta branca com o nome do blog nas costas e vista para o Bósforo. Ao centro no nome do post escrito em cor vermelha sobre tarja branca.

O fascínio pelas séries turcas assegura à Turquia a posição de segundo maior produtor de novelas do mundo, com alcance em mais de 100 países. No Brasil, a onda de sucesso dessas produções é inegável, conquistando admiradores por todo o país. Aqueles que ainda não assistiram, pelo menos já ouviram falar, tamanho é o impacto cultural dessas narrativas.

Esse êxito transcende as telas e influencia até mesmo o turismo. Progressivamente, os telespectadores se encantam com o universo distante da Turquia, atraídos pelos cenários e temas cativantes que destacam a riqueza cultural e histórica do país, atraindo visitantes para aquela região.

A narrativa de amor presente nas "dizis", como são conhecidas as séries turcas, promove uma espécie de turismo virtual, estimulando o desejo de conhecer o país. Comigo não foi diferente, reconheço a influência dessas produções em minha viagem, e o encanto por esse universo não decepcionou.

Durante todo o tempo, busquei absorver ao máximo as experiências e conhecimentos dos hábitos cotidianos turcos. Desde tomar chá em copinhos de vidro em formato de tulipa, contemplar a Ponte do Bósforo, saborear o tradicional café da manhã à base de azeitonas, queijo, tomate, pepino e o famoso café turco (fervido e não coado), até arrancar sorrisos dos locais ao pronunciar "Günaydin" (Bom dia), termo que aprendi nas novelas, tudo marcou o tom emocional dessa viagem única.

É impossível não mencionar outro atrativo nas novelas que se tornou uma unanimidade: a beleza e o charme dos homens turcos. Eles são notavelmente bonitos e elegantes, interpretando personagens com personalidades fortes, expressões faciais ricas de significado e emoções expressas através do olhar. Embora haja ausência de apelo sexual, não economizam na demonstração da intenção e desejo.

Estas obras, conservadoras, seguem os preceitos da religião muçulmana, refletida na ausência de cenas explícitas de sexo e beijos arrebatadores. O clima de insinuação, aliado a uma forte expressão corporal, conduz o telespectador a uma conexão emocional que vai além do visível, explorando a imaginação.

No universo das plataformas digitais, a multiplicidade de opções de transmissão está em ascendência. Facebook, Instagram, Telegram, YouTube e serviços de streaming compartilham diariamente episódios dublados em português ou espanhol.

Dessa forma, as intrigas emocionantes e melodramáticas, de um lado, e os leves e instigantes conflitos amorosos, de outro, tomam conta da atenção dos brasileiros. Questões familiares, jogos de poder e temas mais sérios, como crimes, drogas e política, são explorados em segundo plano, cativando um público que busca entretenimento refinado sem viés político-partidário ou interesses de grupos.

Mesmo nas narrativas mais tradicionais, vestígios de casamentos arranjados emergem, mas sempre cedem espaço ao amor verdadeiro. Nas tramas de temáticas modernas, mulheres talentosas e independentes assumem papéis de destaque, refletindo uma abordagem contemporânea e desempenhando importante papel na estrutura familiar. Seja qual for o protagonismo, o amor persiste como tema predominante.

 

Link do vídeo no Youtube https://youtu.be/UjDFD13_o-Y   

Youtube - Parte 2 - https://youtu.be/JC2ceqjX1eU

 

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?

sexta-feira, 17 de novembro de 2023

DINAMARCA - DE COPENHAGEN A ÅARHUS

Legenda #pracegover - Card feito sobre um fundo de mapa da região da Escandinávia com sete fotos da viagem. À esquerda praça central de Åarhus e Smørrebrød srimp; no centro praça de Odense com pessoas sentadas nas mesas, muito sol e céu azul e canal de águas no centro de Åarhus ao anoitecer; à direita torre da catedral de Åarhus e eu segurando a bandeira, em vermelho e branco, da Dinamarca. Em cima no centro uma tarja branca com o nome deste post escrito em letras pretas.

 

Na continuidade da viagem pela Escandinávia, o itinerário, da terceira etapa, era Copenhague rumo a Åarhus (pronuncia-se órrus). Fazer os trajetos por via terrestre, possibilita conhecer cidades, povoados, característica da natureza. Uma sequencia de belas surpresas que se desdobravam a cada quilometro, as travessias  de ferry boat, os rios que margeiam as estradas,  se desenrolavam  a frente em puro encantamento. 

Nessas terras longínquas de um mundo desconhecido para nós – exceto pelo que abservamos nas séries de televisão –, encontramos um cenário de história, riqueza, bem-estar, gastronomia, céu límpido e sol  para realçar a beleza da natureza. E assim, a primeira parada foi em Roskilde, seguido por Odense e, por fim, Åarhus.

Em Roskilde, situada na ilha de Zelândia, que já foi capital dinamarquesa entre os anos 1.200 e 1.300, uma visita merecida à Catedral gótica de 1275, patrimônio da UNESCO, que abriga 39 sepulturas de monarcas dinamarqueses. Um ponto turístico de visitação, palco de inúmeros concertos musicais, surpreendemo-nos, mesmo alertados, com a maquete do mausoléu que está em construção para a rainha da Dinamarca. 

Inegavelmente é o local mais visitado na Catedral, lembrando que a rainha ainda vive, motivo que gera mais curiosidade. O modelo, cujo design oscila entre o traçado de um túmulo egípcio e o de uma princesa da Disney, mede três metros de altura e pesa sete toneladas, sendo construído em vidro. Vale ressaltar o quão bem-vista e querida é a rainha Margarida II, que além de escrever livros para crianças, aprecia pintura, arte, desenhou e doou trajes litúrgicos para a Igreja e possui uma admirável coleção de coroas.

Na sequencia fomos para Odense, a terceira maior cidade dinamarquesa, com aproximadamente 200.000 habitantes, cidade de nascimento do famoso escritor dinamarquês de contos de fadas, Hans Christian Andersen. O tempo livre e o almoço nesta cidade foram suficientes para declararmos Odense como encantadora. Era um sábado, e a cidade parecia empenhada em provar que os dinamarqueses são alegres e festeiros.

Mesmo sem compreender o idioma e falando um inglês truncado, percebemos que Odense estava em um dia especial de celebração da cerveja. A praça central estava festiva com brindes no estilo viking "skoll"e comida típica da região. O nome Odense deriva das palavras Odin (o Deus da mitologia nórdica) e wæ (nós), significando "povoação de Odin".

E, por fim, Åarhus, fundada pelos Vikings no século VIII. Ao longo da Idade Média, cresceu em importância tornando-se um centro comercial vital, graças à sua localização estratégica próxima ao Mar do Norte. O Den Gamle By é o museu ao ar livre da cidade velha, repleto de casas de enxaimel centenárias. O Museu Viking, subterrâneo, expõe a história antiga da região, e a Catedral de Åarhus exibe afrescos restaurados dos séculos XIV a XVI. Mantendo hoje o status de cidade comercial e portuária importante na conexão com outras cidades europeias.

É um centro universitário de renome internacional, conhecido por sua cena cultural vibrante, composta por museus, galerias de arte, teatros e festivais ao longo do ano. Educação, tecnologia, pesquisa – Aarhus é reconhecida por sua alta qualidade de vida, proporcionando um equilíbrio harmonioso entre a vida urbana e a natureza. Suas praias, áreas verdes e o porto são destinos populares tanto para os locais quanto para os visitantes.

Em resumo, Aarhus é uma cidade dinamarquesa que se desenhou através de uma rica história, evoluindo de um assentamento viking para um centro cultural, educacional e econômico de destaque. Ela se mostra festiva, alegre, e me arrisco a nominá-la como a mais vibrante das cidades visitadas.

 

Link do Vídeo no Youtubechttps://youtu.be/Sp-9J2OttqU

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?

 

quarta-feira, 4 de outubro de 2023

COPENHAGEN - A segunda cidade mais feliz do mundo.

Descrição da foto para acessibilidade do deficiente visual. Card de fundo  azul com quatro fotos de Copenhagen. No alto, escrito em letras brancas, o título do post. Na sequencia imagem da entrada do Parque Tívoli, barman segurando uma garrafa de acquavita, registro do SuperLinda em frente ao Slot Christiansborg - Sede do Parlamento e placas de trânsito na estrada indicando a chegada na Dinamarca.
 

O que mais se ouve é que morar em Copenhague é caro. Muito caro. Mas, em contrapartida, segundo o Relatório Mundial de Felicidade 2023, divulgado pela ONU, lá reside o segundo povo mais feliz do mundo. E, não é por serem tão sorridentes, tão cantantes, tão carnavalescos, quanto os povos de outros países do mundo.

Estudos dizem que o bem-estar naquele país de clima frio não está na ostentação, objetos ou carros de luxo. Segundo Meik Wiking, diretor do Instituto da Felicidade de Copenhage, em seu livro Hygge, a felicidade nas pequenas coisas diz que “o segredo do estilo de vida dinamarquês está na calma e na calidez do lar”.

A guia de turismo local, se refere, em vários momentos, sobre a felicidade da população baseada em desfrutar a vida cotidiana com planos simples e descontraídos, sozinhos ou em companhia de alguém. Christian Bjornskov, professor de Economia, afirma que o que deixa os dinamarqueses felizes é “o extremo grau de confiança que as pessoas têm umas nas outras”. Outro aspecto levantado são os elevados índices de educação, saúde e renda.

Além disso, a capital da Dinamarca foi eleita pela UNESCO a Capital Mundial da Arquitetura 2023. A arquitetura e urbanismo desta cidade se destacam por aspectos como inovação, funcionalidade e sustentabilidade para preservar o patrimônio.

Descrição da foto para acessibilidade do deficiente visual. Card de fundo azul com cinco fotos. Na sequencia prédio de arquitetura moderna, registro do SuperLinda no Réffen e diante da Pequena Sereia, recanto japonês dentro do Parque Tívoli e o Smørrebrød - prato típico de pão, salada e salmão cru

Um passeio pela cidade mostra o que é viver este estado hygge: 60% dos habitantes usam bicicleta, trem ou transporte público diariamente. Trabalham 6h diárias e são mal vistos os que fazem hora extra. Os melhores cenários para saber como os dinamarqueses desfrutam a vida é um passeio pelo Parque Tívoli, o segundo parque de diversão mais antigo do mundo. Os parques pela cidade, os banhos no Mar Báltico, mesmo que no gelado verão de 15 graus, ou um passeio pelo Reffen.

Imperdível é a visita a Reffen, uma área criativa e gastronômica localizada em Copenhague, Dinamarca. É um espaço que abriga uma variedade de barracas de comida, bares, lojas e eventos culturais, tornando-o um importante ponto de encontro para moradores locais e turistas. O nome "Reffen" é uma abreviação de "Refshaleøen", que é a ilha onde está localizado, na parte leste de Copenhague, perto do porto.

Este local costumava ser um estaleiro, mas foi transformado em uma área criativa e de alimentos, com muitos empreendedores e chefs locais oferecendo uma grande variedade de pratos e produtos culinários. Reffen é conhecido por sua atmosfera vibrante e é um ótimo lugar para experimentar a comida dinamarquesa contemporânea, bem como pratos de diversas culinárias internacionais, tudo em um ambiente descontraído à beira-mar. Além da comida, Reffen também abriga eventos culturais, como música ao vivo e exposições de arte.

 

Acesse instagram @raquelsuperlinda

Link do vídeo pelo YouTube https://youtu.be/Y1z1znPD8NY

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?

quinta-feira, 21 de setembro de 2023

BERLIN - A singular capital da Alemanha

Legenda da foto #PraCegoVer - card com fundo da bandeira alemã nas cores amarelo, vermelho e preto de baixo para cima. No alto está escrito, em amarelo, o nome do post. Sobre o card estão quatro fotos: jardim às margens do Rio Spree, o Beijo pintado no Muro de Berlin, o Checkpoint Charlie e foto do SuperLinda de frente para o Portal de Brandenburgo.

Não seria justo dizer que Berlim serviu apenas como uma escala no itinerário da viagem à Escandinávia. Ela é muito mais do que isso, mesmo que a estadia tenha sido rápida. É uma cidade que, uma vez visitada, instiga incessantemente o desejo de retorno. Esta é uma experiência amplamente compartilhada, e minha história não é diferente.

A metrópole alemã exala uma singularidade verdadeiramente marcante. Sempre que se pisa em Berlim, a sensação é a de uma primeira visita, independentemente de quantas vezes se tenha regressado. Ela é cosmopolita, vibrante, eclética, alternativa, naturalmente pulsante, tradicional, histórica e moderna, surpreendendo a qualquer hora. A essência de Berlim não se desvenda apenas sob o sol do dia, quando museus e ruas históricas ganham vida, mas também de noite, quando os bares e discotecas transmitem uma energia compulsiva na cidade.

A capital da Alemanha se distingue por seu contraste entre edifícios históricos e arquitetura contemporânea. Mesmo após múltiplas visitas, não se pode negligenciar a rever os icônicos pontos turísticos, como o Portão de Brandemburgo, o tocante Memorial do Holocausto, a dinâmica Potsdamer Platz, o emblemático Muro de Berlim, o Checkpoint Charlie e a comovente Igreja da Memória (Gedächtniskirche).

Card sobre a bandeira da Alemanha com cinco fotos: jardins à beira do rio Spree; o Memorial do Holocausto; rio Spree com a Catedral ao fundo; imagem da passagem do barco sobre a ponte e o trem passando por cima; foto mostrando a ponte antiga em contraste com prédios de vidros espelhados.
 

Nesta rápida passagem, em uma tarde livre, a opção mais convidativa foi embarcar em um tranquilo passeio de barco, contemplando a cidade sob a perspectiva das águas. O itinerário escolhido foi o que cruza o coração da cidade, navegando pelo rio Spree. Com duração de uma hora, o passeio oferece vistas do Reichstag - prédio do Parlamento - e da majestosa Catedral de Berlim e museus.

Este trajeto, muitas vezes subestimado pelos turistas, revela-se uma jornada tranquila e repleta de narrativas. Durante o percurso, as margens do rio nos encantam com parques, o contraste entre os edifícios de estruturas históricas e contemporâneas construídas  sob aço e vidro. Toda a cidade parece estar em constante reinvenção.

O passeio de barco pelo rio Spree é uma experiência magnífica. Sob o céu de Berlim, suas águas revelam um panorama fascinante da cidade. À medida que o barco desliza tranquilamente pelas margens, as paisagens surpreendentes se desdobram diante dos olhos dos visitantes. 

Assim vivenciamos um momento de contemplação e descoberta, uma jornada que oferece uma perspectiva única da vibrante de Berlim. Sem dúvida, é um fecho memorável para qualquer visita à capital alemã.

 

Acesse instagram @raquelsuperlinda

Link do vídeo pelo YouTube https://youtu.be/dXE4qQqlxSU

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?


 



quarta-feira, 24 de maio de 2023

FRAIBURGO SC - A importância da maçã para a cidade.

Descrição da Foto #PraCegoVer - card com 4 fotos sobre a imagem  panorâmica da cidade. Em cima foto com a camiseta do blog superlinda, de costas, colhendo maçã. Embaixo da esquerda para a direita o casal Konkal, dentro do ônibus explicando sobre a fruta e a colheita; ao centro dois homens cantores de música regional no picnic e a esquerda eu (uso calça comprida vermelha, tênis claro e jaqueta escura) e a @HeloisaCorrea (usa calça jeans, camisa vermelha e jaqueta preta) em frente ao ônibus de passeio

Do símbolo religioso bíblico, que representa a tentação e o pecado original, à inocente primeira fruta oferecida para uma criança, a maçã tem um significado de importância econômica e histórica para a cidade de Fraiburgo. 

Essa fruta vermelha e brilhante também é conhecida por exalar um aroma inebriante quando saboreada em forma de chá ou usada como ingrediente popular na mesa de muitas culturas. Mas a maçã também tem um lado controverso. Na tradição afrodisíaca, ela é a fruta do pecado, usada como um símbolo de luxúria e sedução.

Independentemente do seu simbolismo, a maçã é uma fruta deliciosa e nutritiva. Rica em fibras, vitaminas e antioxidantes, é uma excelente opção para lanches saudáveis. Seja em forma de torta, suco ou chá, a maçã sempre terá um lugar especial na culinária e na cultura em todo o mundo, especialmente para a cidade de Fraiburgo.

Localizada no coração do estado de Santa Catarina, a Fraiburgo, de 70 mil habitantes, é conhecida por sua cultura, gastronomia e, principalmente, pela produção de maçãs. Fundada em 1914, a cidade recebeu o nome de Vila dos Frey em homenagem à família que foi fundamental em seu desenvolvimento.

Os irmãos René e Arnoldo Frey foram os pioneiros na colonização da região e contribuíram para o crescimento da cidade. Hoje, Fraiburgo é conhecida como a Terra da Maçã, sendo responsável por mais de 30% da produção da fruta no estado catarinense e 16% da produção nacional, de acordo com a Associação Brasileira de Produtores de Maçã – ABPM.

Descrição da foto #PraCegoVer Imagem panorâmica, no fim de tarde, do jardim externo do Hotel Renar.Sobreposta com foto do ponto de selfie "Eu amo Fraiburgo"em frente um canteiro de flores vermelhas e brancas.

Embora a cidade gire em torno da produção de maçã ela oferece também outras opções de passeios. Ela é cercada de deslumbrantes paisagens de araucárias e é um exemplo de mescla de culturas, com forte presença alemã, italiana e austríaca. Além disso, a arquitetura, artesanato e gastronomia são um atrativo à parte para os turistas que visitam a cidade.

Em épocas específicas do ano os visitantes podem conhecer todo o processo de produção da maçã desde a colheita até a produção de seus derivados. No inverno, as temperaturas podem chegar a -5°C nos dias mais extremos, mas a cidade se torna ainda mais charmosa. Já no verão, é época da colheita e um dos principais passeios turísticos é um tour pelos pomares de plantação da fruta.

Mas a cidade também tem outras atrações como o lago artificial. O Lago dos Araucárias foi construído na década de 40 para abastecer a primeira serraria de Fraiburgo e se tornou um ponto de encontro dos habitantes e visitantes. Com 1.750 metros de perímetro, o lago é rodeado por áreas de lazer como parquinhos, ciclovia, quadra de futebol de areia e academia ao ar livre, além de servir como pista de caminhadas e corridas.

Outra atração imperdível na parte central da cidade é a praça, onde estão escadarias e uma chaminé de tijolos, na altura de um prédio de 12 andares. Construída em 1939, a chaminé fazia parte da serraria dos irmãos René e Arnoldo Frey e hoje é um símbolo da época das atividades madeireiras, que era a principal atividade econômica da cidade.

Para quem busca um contato mais próximo com a natureza, o Parque René Frey é um verdadeiro paraíso ecológico em plena área central de Fraiburgo. Com 50 hectares de mata nativa, árvores centenárias de araucárias e imbuias, além de alguns animais, o local oferece trilhas ecológicas, belas paisagens, caminhadas, cavalgadas e picnics, entre outras atividades.

Assim, Fraiburgo é muito mais do que a Terra da Maçã, é um destino turístico de cultura, natureza e gastronomia, que encanta e surpreende seus visitantes.

 

Acesse instagram @raquelsuperlinda

Link do vídeo pelo YouTube https://youtu.be/Y8DfqgkO0_k

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?

 

 

segunda-feira, 8 de maio de 2023

ÁGUA DOCE SC - VINÍCOLA VILLAGIO GRANDO

Legenda da Foto #PraCegoVer - Card de fundo bege e marrom com três fotos: em cima taça gravada com o nome da vinícola ao lado de uma garrafa de vidro verde escuro de vinho sauvignon Blanc; lado esquerdo lanche e doces servidos sobre mesa baixa com toalha xadrez preto e branco; embaixo barricas de carvalho. No centro o nome do post do www.superlinda.com

Já não deveria mais me admirar com as maravilhas que encontro neste Estado. Ainda assim elas surgem e continuam me encantando. A surpresa, do post de hoje,  está na grandiosidade e no nível de requinte das nossas vínícolas que até pouco tempo só existia na Europa.

Água Doce é um município localizado na região meio-oeste de Santa Catarina, com cerca de 7.000 habitantes. Nos últimos anos, a vitivinicultura tem se destacado como um setor promissor. A região possui características únicas de clima e solo situadas a mais de 1.300 metros de altitude, o que permite o cultivo de uvas de qualidade para a produção de vinhos finos.  

Entre as vinícolas da região, a Villagio Grando - @vinicolavillagiogrando - tem se destacado na produção de vinhos premiados nacional e internacionalmente. Uma história que começou nos anos 90 com o fundador Maurício Carlos Grando. Os vinhos ali produzidos refletem as características da terra local e são apreciados por enólogos e amantes da bebida em todo o mundo.

Essa história é contada detalhadamente por Liliana Silva de Quadros  - @liliiana_silva - guia de visitação: "A família Grando trabalhava com exportação de madeira e muitos dos contatos profissionais tornaram-se amizades". Em uma das viagens para a França, o "Sr Maurício", como ela o chama,  "fez alguns convites para que amigos o visitassem no Brasil". Essas pessoas aceitaram e quando aqui chegaram foi organizado um passeio para tomar vinho e fazer uma caçada. 

Enquanto relata, Liliana demonstra admiração pela história que conta. Pensando nessa caçada, Maurício Grando pediu autorização, para o então dono das terras onde hoje é a vinícola, para que pudessem usar sua propriedade para aquele fim. Nesse passeio os franceses, produtores de armanhaque (1),  conhecedores de terroir para o cultivo da uva, comentaram com o anfitrião sobre a qualidade da terra. 

Descrição da Foto #PraCegoVer. Card de fundo marrom claro com quatro fotos: em cima no canto esquerdo a mesa com taças para degustação; canto direito taça grafada com a logo e nome da vinícola; no centro muro de pedra, portão de ferro e placa com o. nome Villagio Grando; embaixo tonéis de aço inoxidável de armazenamento de vinho.

Na primeira oportunidade, de acordo com o relato, o visionário da Grando "não hesitou em comprar aquelas terras e buscou se juntar à especialistas como foi o  enólogo Jean Pierre Rosier" conta  Liliana. O francês Jean Pierre, formado na Universidade de Enologia de Bordeaux, participou ativamente deste início e hoje é um grande amigo da família.

Rosier confirmou a Maurício sobre a qualidade da terra, do clima e das condições. O enólogo trouxe as primeiras mudas da França, que foram plantadas em dezembro de 1998. Assim começou um laboratório de pesquisa para a adaptação de castas, que hoje soma mais de 100 variedades de vitis viniferas.

Atualmente Lara Cristine Mallon - @laramallon - é a enóloga responsável na Vínícola. Ela conta com a consultoria do enólogo português Antonio Saramago. "Com mais de cinquenta anos em enologia, eleito como um dos três melhores enólogos do mundo, o Sr Antonio, uma vez ao ano, vem até nós para prestar essa consultoria" completa Lilliana.  

A vinícola possui um vinhedo de 45 hectares e produz uma variedade de vinhos, incluindo tintos, brancos, espumantes, licorosos e brandy. A produção total pode chegar a 260.000 garrafas por ano. A vinícola se orgulha de produzir vinhos de qualidade igual às regiões vinícolas mais consagradas do mundo.

Durante a visita na Vinícola Villagio Grando foi possível sentir a boa acolhida, hospitalidade e o serviço de excelência que fez toda a diferença. As pessoas se sentiram bem-vindas e apreciaram tudo que a vinícola tem a oferecer.

Além disso, a estrutura moderna e elegante da parte física contribui para que a experiência fosse ainda mais agradável e única. Com certeza é um local que vale a pena ser visitado por quem aprecia vinhos de qualidade e deseja conhecer mais sobre a cultura vinícola da região ou fazer turismo.

 

Nota: (1) Armanhaque é uma aguardente vínica de alta qualidade, semelhante ao conhaque produzido exclusivamente na região de Armagnac, no sudoeste da França. O armanhaque é destilado a partir de vinhos que possuem características próprias para o envelhecimento. O resultado é uma bebida elegante e sofisticada, que é apreciada por conhecedores de todo o mundo.


Acesse instagram @raquelsuperlinda

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?




 

 

quarta-feira, 26 de abril de 2023

TREZE TÍLIAS - Sinônimo de Cultura e Arte Sacra em Madeira


Descrição das fotos #PraCegoLer: card de fundo bege com quatro fotos da esquerda para direita, na parte superior o escultor Werner Thaler, portal com Jesus na cruz, em madeira, do esculpida por Godofredo Thaler; embaixo caveira em madeira esculpida por Vinícius Thaler e imagem de São Francisco esculpida por Werner Thaler. Nome do post e do blog em cor preta na parte baixa.

 

Uma cidade feita por escultores.

Treze Tílias, cidade localizada no meio-oeste de Santa Catarina, é conhecida por sua rica cultura em artesanato, gastronomia e festas típicas, mas principalmente pela arte sacra esculpida em madeira. A cidade é famosa por contar com artesãos habilidosos que produzem verdadeiras obras de arte.

Conforme sabemos a arte sacra em madeira é uma tradição que se estende por séculos e que tem suas raízes na Europa, mais especificamente na região do Tirol, de onde vieram os imigrantes que fundaram a cidade de Treze Tílias. A religiosidade sempre foi uma das características marcantes dos imigrantes austríacos e, por isso, a produção desta atividade tornou-se uma das mais importantes da cidade.

Dessa forma, somada a influência cultural com a abundância de madeira da região os escultores de Treze Tílias encontraram o ambiente próprio para desenvolver este trabalho. Na prática, em tempos remotos, o aprendizado já era herança adquirida e passada de pai para filho. Assim, o escultor Werner Thaler - @wernerthaler_escultor - da mesma forma que recebeu ensinamentos dos avós repassou ao filho Vinícius Thaler @viniciusthaler.  

Werner, fez especialização na Europa e explica que "na sua família, desde a geração anterior ao seu bisavó, embora não fossem escultores, já faziam presépios em madeira, uma tradição da região da Áustria onde moravam". O trabalho é minucioso. As peças são esculpidas com cuidado e precisão, levando em conta os detalhes da figura representada, as expressões faciais e as vestimentas  com riqueza de detalhes e acabamentos.

A arte em madeira de Treze Tílias é uma expressão viva da cultura local, que valoriza a tradição e a criatividade. Os escultores são verdadeiros artistas, que mantêm viva a arte ancestral e contribuem para a preservação da identidade cultural da cidade. Para quem visita Treze Tílias essas obras são uma atração imperdível que revelam a habilidade e a paixão dos artistas locais pela sua arte.


Descrição da Foto: card de fundo bege com quatro imagens da cidade: em cima o Castelinho, construção em tom terracota; o Hotel Dreizehnlinden; vista da praça e da igreja e momunento/estátua de Andreas Thaler.

A técnica utilizada pelos escultores de madeira é bastante elaborada, exigindo habilidade e paciência. O processo começa com a escolha da madeira, depois ela é moldada e esculpida com o auxílio de ferramentas específicas. A medida que  que o trabalho se desenvolve a imagem surge como se estivesse saindo naturalmente de dentro da madeira bruta.

Descrição da foto: card de fundo bege com três dos trabalhos da pintura bauernmalerei feito em fundo de madeira com flores coloridas e placa indicativa do Atelier Pattis. Fotos de Heloisa S.Correa.

Outra grande atração é conhecer a pintura Bauernmalerei, uma técnica popular que se originou nas áreas rurais da Alemanha e Áustria, no século XVIII. O atelier Pattis expõe trabalhos da artista Luciana Pattis. Essa forma de arte é conhecida por suas cores vivas, motivos florais e de frutas e seu estilo rústico e simples. Geralmente é pintada em objetos utilitários, como móveis, utensílios de cozinha e caixas de madeira. A Bauernmalerei é valorizada por sua beleza e autenticidade, e é uma forma de arte popular ainda hoje. 

Se você precisa de mais motivos para visitar a cidade, que tal isso: Treze Tílias é famosa, também pela produção de cervejas artesanais. A Cervejaria Bierbaum é uma das mais antigas da cidade, fundada em 2010, e produz cervejas com ingredientes selecionados e receitas exclusivas. Tem ainda a Cervejaria Pubi Bier, a Cervejaria Trezetiliense,  a LindenBier. Todas elas têm em comum a paixão pela produção artesanal de cervejas de qualidade, valorizando ingredientes locais e técnicas tradicionais de produção.

 

Descrição da Foto: Em cima foto da garrafa de vinho da Kranz Vínicola; embaixo a Cervejaria Bierbaum; a esquerda garrafa e taça de vinho sobre mesa com toalha xadrez vermelho e branco e vaso com flor vermelha.
 

Tanto quanto a cerveja, Treze Tílias desponta como produtora de vinho. A Vinícola Kranz, localizada no centro da cidade, foi fundada em 2007, é uma empresa pioneira na produção de vinhos, espumantes e sucos 100% naturais. Os vinhos da Vinícola Kranz são produzidos com uvas selecionadas, que passam por um rigoroso controle de qualidade antes de serem processadas. O resultado são vinhos finos, com aroma e sabor únicos, que refletem as características da região onde são cultivadas as uvas.

O nome Treze Tílias faz referência às treze árvores de nome tílias (árvore de origem européia) plantadas na praça central da cidade  dando-lhe uma atmosfera europeia. Fundada em 1933 pelo ex Ministro da Agricultura da Áustria, Andreas Thaler, a cidade é uma homenagem ao Estado Austríaco de Tirol, de onde vieram seus fundadores. Também é possível perceber essa influência austríaca na arquitetura em cada canto da cidade.

Enfim, Treze Tílias é uma cidade encantadora, que preserva suas tradições ao mesmo tempo em que se abre para o mundo. Uma visita a essa cidade é uma viagem no tempo e uma imersão em uma cultura rica e diversa.

 

Acesse instagram @raquelsuperlinda

YouTube https://youtu.be/m5ptCP_2HW0

Fotos: arquivo particular de Raquel Ramos

Legenda na foto para acesso do deficiente visual #PraCegoVer. Seu blog dá acesso ao deficiente visual?