terça-feira, 19 de agosto de 2014

LUDIBRIAR



"Considera que não são as acções dos outros que nos perturbam, pois que pertencem ao domínio das suas vontades, mas a opinião que sobre ela formamos." 


Li esta citação no link como sendo "Pensamento e Reflexões" de Marco Aurélio. Não tenho conhecimento de ser de fonte segura, porém vem a calhar com o que tenho pensado nestes últimos tempos a respeito da palavra ludibriar.


Nossa repulsa é pela pessoa que ludibria, ou do conceito que formulamos sobre essas pessoas a partir das suas atitudes e comportamento.

Creio que o vão que há entre uma coisa e outra é tão estreito quanto uma risca de giz.

Segundo o dicionário ludibriar significa: engodar, enganar com palavras capciosas, iludir, burlar.


Tento entender se ludibrir é uma característica de personalidade ou de caráter.  


Tão difícil quanto compreender ou separar este elo (link), é reconhecer quando estamos sendo ludibriados. Pois que, ludibriar é um ato cheio de subterfúgios para iludir o outro com objetivos diversos.


Técnica de manipulação habilidosa de muitos, fazer e refazer é a sua especialidade. Tudo escrito nas entrelinhas, que só lê quem quer.

Quem ludibria, ludibria sempre em causa própria, tão dissimulado quanto um lobo em pele de cordeiro

Se aprofundar no assunto é mergulhar numa imensidão de conceitos de psicologia e psiquiatria a procura de justificativas de comportamento.

De uma forma muito básica e objetiva, digo que ludibriar ocorre na forma ativa e passiva.


Ludibria quem sabe, deixa-se ludibriar quem quer.


*Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui)
Placa feita com aplicativo Over com a frase Ludibria quem sabe, deixa-se ludibriar quem quer.

Um comentário:

  1. Oi, Raquel!
    Num extremo, o psicopata nasce psicopata e não existe terapia que resolva. É um desvio de caráter profundo que começa na formação do cérebro (rs*). Porém vemos pessoas que se dizem espertas, ludibriando outras apenas por vaidade ou para tirar proveito que pode ser social, financeiro, amoroso... Quem é um pouco esperto já nota e se for mais esperto ainda, finge que não vê e sai de fininho. Não se envolve. A não ser que esteja ludibriando pessoas que amamos, porque não dá para entrar numa briga com pessoas desse tipo se não for por uma boa causa, justamente para no futuro próximo não ser a próxima vítima :D
    Beijus,

    ResponderExcluir