segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A Fidelidade Masculina




Link da imagem


O cenário era o de uma mesa de bar, onde sentados estavam um homem e um mulher que formavam um casal, duas mulheres e mais um homem, amigos recém conhecidos.

Uma boa bebida, água para "manter o equilíbrio", um belisco para "alimentar" e a conversa rolando fácil, solta e divertida.

Foi quando um assunto foi jogado na mesa.

_ O que você acha que é isto aqui? - perguntou a mulher, para o outro homem da mesa, apontando uma mancha vermelha no pescoço do seu companheiro.

Sem gaguejar ele olhou, olhou e arriscou um palpite: 

_Parece um arranhão de um galho de árvore. 

E em ato contínuo sem interromper seu pensamento completou, como que para dar consistência a sua idéia sobre o ocorrido:

 _Você estava a cavalo e passou embaixo de algum galho....talvez uma araucária????

Deu-se uma gargalhada geral e a mulher insistiu no assunto:

_Você não acha que isso foi um "chupão"de mulher??? - desculpem o termo chulo.

A resposta veio firme e imediata: _Nãoooo!!!!

Mais uma gargalhada e os dois homens se abraçaram como quem firma um acordo de cumplicidade.

Em contrapartida, uma das mulheres, em meio a toda esta animação, fez um comentário dizendo estar sentindo-se "alegre" com toda aquela conversa e com o champgne servido, afirmou: 
_Faz tempo que não bebo...

Não chegou a terminar a frase e foi interrompida por uma das outras da mesa, dizendo:
_Hummm!!!!! não mente... Entregando a amiga.

Explicação:  Sei porque vi, que a marca no pescoço do homem, foi uma mordida dada por uma égua (sim, sim, o animal, a fêmea do cavalo). Creiam-me, não havia quem olhasse e não afirmasse tratar-se realmente de um "chupão" de mulher. 

E enquanto eu não contei toda a história e depois de confirmada pelo homem, ele defendeu a sua posição, reafirmando ter sido provocado por um galho de araucária, inclusive descrevendo todas as possibilidades de como podia ter acontecido o tal "acidente".

SANTA FIDELIDADE MASCULINA!!!!

*Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui)
Foto do google de um homem com a boca fechada por uma tira escrita "mute".

10 comentários:

  1. Conta a lenda que se o homem não dorme em casa e a mulher ligar para 356 amigos dele, todos dirão que o amigo dormiu ali, triste, inconformado, com a possibilidade da mulher já não mais ama-lo. Dizem por aí, não sei se isso é verdade.

    ResponderExcluir
  2. Pior do que os amigos alcoviteiros e cúmplices é a certeza masculina, decorrente da passividade e aceitacao feminina, de uma impunidade pelas suas atitudes "machistas" e irresponsáveis. É o meu parecer...

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk eles são assim mesmo. Eu invejo! kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Pura verdade , a confraria masculina!!

    Bjokas , sua superlinda.
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  5. Homem se ajudam em qualquer lugar, até na academia, vc sempre vê os caras um amigo do outro, já as mulheres, algumas olham para vc de cima a baixo, ficam se comparando, competindo uma com as outras, acho absurdo isso.

    ResponderExcluir
  6. Sao sempre unidos só que nao tambem sabem ser fura olho

    ResponderExcluir
  7. hahahahahahahaha....excelente "conto" Raquel!! Só quem sabe....sabe!!! Com eles...e com elas, ninguém pode! ;)

    ResponderExcluir
  8. Oi, Raquel!
    Se invertermos os papéis, o que pensariam da mulher se aparecesse com uma marca no pescoço? Enquanto para o homem é vantagem até mesmo ser infie, para a mulher é desvio de caráter, um caminho para ser chamada de vagabunda.
    Não acredito nessa diferença entre amizade masculina e feminina. Para mim é tudo folclore que os homens criaram para distanciar as mulheres e fazê-las rivais. Já pensou se essa diferença não fosse incentivada e as mulheres se unissem, descartando essa besteira do mundo machista, o que aconteceria com os homens?
    Citando Claude Aveline (Evgen Avtsine): "A humanidade masculina divide-se em dois grupos: areia ou falésia. A mulher é sempre o oceano".
    :)
    Beijus,

    ResponderExcluir