segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Em Tempo: Jobs Entre o Bem e o Mal




O Programa Fantástico apresentou no domingo mais uma reportagem sobre a morte de Steve Jobs. No dia de sua morte o Faceboock e o Twitter literalmente bombaram com este assunto que aos poucos foi sendo substituído por outros  de pessoas indignadas com o endeusamento dado a Jobs e fazendo publicações do comportamento negativo dele como pessoa ou desvalorizando o produto por ele criado.
A importância das pessoas está naquilo que ela representa para você. Eu, por um problema de Q ou de I , (rs) expressão que copiei de uma amiga, quando quer se referir à algo que não consegue fazer, não sei usar o Windows. Minha vida com computador só aconteceu a partir do momento que tive acesso ao Mac. É tudo muito simples, nada trava, abre qualquer arquivo, enfim… É importante que hoje tudo seja digitalizado? Que tenhamos notícias do mundo inteiro em tempo real? Livros e revistas digitais, musicas, estudos e pesquisas na web? Ele não criou tudo isso, mas a sua participação é incontestável. Ah! meu Iphone que já vem com Ipod, meu Ipad  que me permite acessar a internet sem ponto de acesso …objetos de puro prazer!
Eu não sei se Jobs, era um ser humano bom ou ruim, humilde ou arrogante, eu o admiro por ter criado algo tão simples de manusear e de tanta qualidade quanto é qualquer produto Mac.
O endeusamento de pessoas depois que morrem é algo que não se explica. Qualquer viúva passa achar o seu marido falecido a melhor das pessoas, mesmo tendo comido o pão que o diabo amassou ao lado dele. Se morrem e  são famosos então…nem se fala. Quem não acha que  Cazuza foi o maior poeta de todos os tempos, corre o risco de ser linchado. O que ele fez como pessoa e filho? Quais as grandes contribuições que ele deu à humanidade?
Michael Jackson passou a ser o maior talento musical do mundo, após sua morte. José de Alencar se transformou no político e empresário exemplar "como  nunca tivemos na história deste país", porque lutou bravamente contra um câncer. Quem não faria isso estando doente e com os recursos abundantes que ele possuia? Todos os anos milhares de fãs ainda levam flores para John Lennon que ficou imortalizado por suas  músicas e até hoje ainda se comenta a semana em que junto com Yoko Ono, ficou sem fazer nada num quarto de hotel em sinal de protesto. Foi este o seu grande ato de bravura?  Num caso bem mais  recente tivemos a morte de Amy Winehouse, com uma voz maravilhosa não teve capacidade  de cuidar de sua vida pessoal, sempre envolvida em escândalos e drogas e foi motivo para homenagens e endeusamento, de muitos e indignação de outros nas redes sociais e na mídia.
E assim será para sempre…se  pesquisarmos jornais e revistas, noticiários de TV, nos momentos pós-morte de pessoas famosas, vamos nos deparar com o massacre que a mídia faz com repetidas reportagens sobre a vida e obra  de pessoas cuja importância é relativa se analisarmos sob o ponto de vista ou gosto pessoal de cada um de nós ou tão grandiosa quanto a admiração que podemos ter pela sua obra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário