quarta-feira, 4 de outubro de 2017

O pensamento falado



A formulação do pensamento "Paro diante de um não, mas não paro diante do silêncio. Tenho a pretensão de achar que ele me diz o que quero ouvir" surgiu de um comentário que ouvi da psicóloga Talita Mara da Silva.  Falando sobre dar e receber respostas, sobre a ansiedade enquanto aguardamos a manifestação de outra pessoa, ela comentou informalmente: O silêncio é o pior recurso para se usar, porque dá margens a se imaginar qualquer coisa e dificilmente o que se imagina corresponde à realidade".

Há quem, em contradição, defenda o silêncio como um argumento mais forte do que as palavras e de significados positivos.  Elegem o silêncio como sendo melhor do que uma palavra errada. Outros afirmam que quando não há mais o que dizer devemos nos calar e silenciar. 

Intui, escrevi, falei e obtive resposta. Este sempre foi meu pensamento. O silêncio pode servir para a reflexão, nunca para se calar. É preciso falar. Ninguém adivinha seus pensamentos, seus desejos, suas raivas, dúvidas, questionamentos ou o qualquer coisa que você não expressa.

Quer me aterrorizar? Pratique o silêncio.
O que quero? Quero o pensamento falado. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário