terça-feira, 31 de outubro de 2017

No creo en brujas, pero que las hay, las hay



Bruxaria, magia e poderes malignos assombram o mundo desde a antiguidade. Acreditar neles é ter curiosidade no fantástico mundo do sobrenatural. 

No dia das bruxas faço uma chamada especial em grande estilo a mais famosa delas. A cartomante.  Não neguemos os nossos desejos mais íntimos, senão, impuros em usar dos seus poderes para realizar os nossos sonhos. Nos enfeitiçamos com a sua capacidade de dizer as emoções que sentimos. Queremos usufruir da sua habilidade de controlar pensamentos, comportamentos, projetar nosso futuro como esperança numa vida feliz. E, se alguma dúvida persiste à leitura que ela faz nas cartas, os acertos do passado, garantem nossa crença.

Ivan Lins musicou "Cartomante" e Elis Regina cantou:

“Já está escrito, já está previsto,
Por todas as videntes, pelas cartomantes
Tá tudo nas cartas, em todas as estrelas
No jogo dos búzios e nas profecias “


E, pasmem, até o grande Machado de Assis escreveu sobre elas.

“Ria, ria. Os homens são assim. Não acreditam em nada. Pois saiba que fui, e ela adivinhou o motivo da minha consulta antes mesmo que eu lhe dissesse o que era. Apenas começou a botar as cartas, disse-me: A senhora gosta de uma pessoa...” Confessei que sim, e então ela continuou a botas as cartas, combinou-as, e no declarou-me que eu tinha medo de que você me esquecesse, mas que não era verdade...”

_Ah! Minha querida cartomante. Quantas vezes você me disse, tudo o que eu queria ouvir. Um alento para o meu coração sofrido. Outras, nem tão doces assim. As ações duras e maquiavélicas, sempre armada pelas forças do mal.

Procuramos essas enigmáticas criaturas, em busca de mágicas soluções, de esperança no seu poder de falar, mudar e controlar o caminho dos nossos sonhos com o seu encantamento.

Porém, alguns não acreditam em bruxas, mas jogam canela na porta da casa para dar sorte, não passam embaixo de escada, pedem desculpas quando tropeçam “em nada”, jogam arroz nos noivos, colocam ferradura na porta, pés de coelho, talismãs, amuletos, folhas de arruda, louro.

Nem mesmo toda a tecnologia do mundo atual, diminui a curiosidade popular dos poderes sobrenaturais, superstições e crendices que existem desde que o mundo é mundo.

É certo que também vivemos sempre em busca de comprovações. Porém, nosso imaginário é tão grande quanto os poderes que à elas atribuímos. Intuímos sobre essas figuras de formas fantasiosas e são incontáveis as vezes que desejaríamos ter os seus poderes.

"No creo em brujas, pero que las hay, las hay", de autoria atribuída a Miguel de Cervantes, é um ditado popular de origem galega descrito no site Ciberdúvidas.


Link do YouTube de Elis Regina cantando Cartomante


Link do YouTube com o audiolivro de Cartomante de Machado de Assis.

4 comentários:

  1. Oi, Raquel!
    Uma pequena confusão: Cartomante não é bruxa. Os bruxos lêem tarot (rs*). Sei disso porque sou bruxa! Cartomante é uma charlatã. Não existem advinhações. Existe aqui e o agora. O tarot vai apenas te aconselhar, nunca dizer o que irá acontecer.
    Vou te convidar assistir as lives de um amigo bruxo e ele poderá lhe dar conselhos. Tudo acontece por intuição (magia) e alegria (boas intenções).
    Beijus no coração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luma! Entendi tua colocação. Vou procurar por Minha intenção foi simplista demais, sem a intenção de diminuir ninguém.

      Excluir
  2. hahahaha Agora que prestei atenção na foto!! :) Bacana!!

    ResponderExcluir