sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Em "la tierra de malbec"

Plantação de uva
Visita à vinícola Domiciano

Não há exagero nenhum em dizer que Mendoza vive embriagada pela fama do vinho, tamanha é a quantidade de vinícolas que possui. Assim como, não é exagero dizer que o tema, está sempre envolvido em frases de intencionalidade para agir na imaginação de cada um. Sobre o pensamento, o discurso dessas palavras é de amor ao ato de saborear a bebida acompanhado de outros tantos desejos.

A milenar bebida degustada nas vinícolas, oferecida por pessoas habilidosas na arte de vender, fazem da apresentação uma prática rica em história e tradições. Tomar um vinho, esse líquido encantador, basta levar à boca para sentir despertar seu efeito aveludado à base de taninos doces e agradáveis.

É esta a sensação que envolve quem visita a cidade conhecida como a "Adega da Argentina". A região é dona de 80% da produção interna, o que lhe dá o título do quinto maior produtor mundial de vinho e da uva malbec. Essa variedade de uvas vermelhas encontra na capital da província de Mendoza o solo árido, as condições agroclimáticas ideais para a sua produção e plantio.

Durante o passeio a algumas das 100 vinícolas abertas à visitação são dadas explicações desde o cultivo da planta, o processo de engarrafamento, até o consumo final. Para os apreciadores da bebida toda  cultura que envolve o assunto é bem vinda.

Detalhes de que malbec é um vinho que apresenta em sua juventude uma cor vermelho-escura com tons violeta, de aromas de frutas vemelhas como ameixa, cereja, franboesa, podendo sentir notas de baunilha, chocolate e café, fica como conhecimento adquirido. Conhecimento que para os leigos consumidores pode se dissolver ao primeiro gole, porém o sabor, nunca.

Para os amantes do vinho interessa sentir o prazer seco ou doce da enorme variedade, beleza, e sedução que envolve esta cultura.
Plantação de uva na Vinícola Domiciano

Degustação na Vinícola Domiciano
Apresentação dos vinhos















A Bodega Domiciano sensibiliza os visitantes citando a particularidade de que a sua produção é feita a partir da "colheita da uva feita só depois do por do sol nas noites frias de abril". 

Durante a visita guiada, cheia de charme e capricho, as primeiras palavras são ditas com ares de inocência de que naquela adega “produzem vinhos para ser bons”.

Porém, é na característica de uma bodega do "tipo boutique" que ela se faz grande. Este é um conceito moderno que qualifica um local com algo de especial. Neste caso trata-se de um negócio familiar e de pequena produção, com qualidade e medalhas de ouro e prata na Europa.


Explicação dos vinhos e ao fundos a frase "Saber beber es saber vivir".

Escada e ambiente interno da construção da vinícola








O antigo prédio construído há 110 anos, aberto para receber o visitante, a vinícola Vino El Cerno, dá boas vindas com a estimulante frase “Saber beber é saber vivir". 

Em se tratando de vinho, também nada é por acaso. A Vino EL Cerno traz o cerne da tradicional bebidas dos deuses na origem do seu nome. Cerno significa coração de madeiras duras como a de carvalho, onde ocorre o envelhecimento dos vinhos varietais produzidos naquela vinícola. 

Entende-se por vinho varietal aquele elaborado a partir de uma única variedade de uva ou com alta predominância de determinada uva.

Nesta pequena vinícola familiar os vinhos são produzidos com a mesma tecnologia usada pelos imigrantes pioneiros. Sejam tintos, brancos, espumantes, são totalmente naturais sem adição de elementos químicos. 


Quadro da frase "El vino no emborracha te hasse magico!"
Ferramentas e peças antigas usada na vinícola
Expositor de vinhos




















A recepção na Vínicola Florio, não é diferente. A frase estampada junto aos objetos que contam a história desta tradição, "El vino no emborracha, te hace mágico!", é motivante.

Desde 1912, Antonio Florio decidiu dar continuidade na tradição familiar na arte do bom vinho, na cidade de Maipú, província de Mendonza. Um lugar de condições climáticas excepcionais para o desenvolvimento das vinhas.

Aqui a especialidade da casa é o vinho de sobremesa tipo Marsala, Porto, Sherry, espumantes e os varietais como Malbec, Chardonnay. 

Ao final, tenho a nítida sensação de ser proposital a escolha desta, como a última visita do dia. Eu diria que a essa altura, os delicados, adocicados e alcoólicos extratos de uva "no emborracha, ma te hace MUI mágico".


Seu blog dá acesso ao deficiente visual?
Veja também:



Nenhum comentário:

Postar um comentário