domingo, 18 de novembro de 2018

Assiti ao filme Paris pode esperar

Os personagens em foto de divulgação
Anne(Diane Lane) é casada com Michael( Alec Baldwin), um poderoso produtor de Hollywood. Após a participação no Festival de Cinema, em Cannes, Michael, segue para Budapest e Anne vai de carro para Paris,, com Jacques (Arnaud Viard), sócio de Michael.

No filme, Jacques e Anne formam um casal maduro, lindo e atraente. Eles possuem uma filha de 20 anos, e vivem um casamento levado na “medida do possível” como ela mesma responde a uma pergunta de Jaques. 

Num casamento de tantos anos os sonhos e anseios já são questionados. Buscar resposta secas e didáticas neste assunto é, também, cair na meismice. Qual relacionamento não se ressente depois de tanto tempo? 

O filme não é novo, é de 2016, mas foi durante essa semana que li a indicação no perfil do amigo Helio de Aquino e recomendo para quem gosta de filme bom, bonito e leve. 

Depois de assistir, fui ler algumas críticas, assim como sempre faço para não me deixar influenciar. Entendo que o papel da crítica seja apontar o que tem de ruim e de bom, sem se emocionar, isto resume o que li.

Não busque fórmulas mágicas, nem solução mirabolante para as questões existenciais levantadas no filme, já que nem na vida nós as temos. Divirta-se com o charme, a graça e a força dos personagens. 

Preocupe-se em apreciar e sonhar com as paisagens do interior da França, com os queijos, vinhos, chocolates e concentre-se nos detalhes  das lentes de Anne.

Independentemente do final, faça uma viagem inesquecível. Me vi no filme em vários momentos seduzida pelo vinho, comida, fotografia, paisagem e pela sensualidade
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário