sábado, 2 de abril de 2011

Eu Quero ou Não Quero ser Avó.




Ainda não sou avó, não porque não tenha idade, simplesmente porque meus filhos ainda não têm filhos. Eles sabem que eu só quero ser avó quando eles quiserem e - se quiserem ter filhos-, o mais importante é eles terem filhos quando puderem criá-los no seu todo. Porque se for para ser avó, quero ser aquela que só usufrui do papel de avó! Que ama, que brinca, que se aproveita do amor dos netos que sugam dela, tudo o que podem com a inocência de criança. Tudo verdade e lindo!

Errei o tempo do verbo, ERA tudo verdade e lindo até pouco tempo atrás. HOJE a legislação prevê o DIREITO DE VISITA aos avós em caso de separação do casal/filhos para a garantia dos vínculos familiares  e a OBRIGATORIEDADE  DE PAGAR PENSÃO ALIMENTICIA quando um dos conjuges não puder arcar com esta responsabilidade.
Quantos de nós concordamos com isso?  Nós, que já estamos com os filhos criados,  que  já trabalhamos tudo o tínhamos que trabalhar para criá-los,  como podemos assumir a responsabilidade - ou irresponsabilidade-  de nossos(as) filhos(as)?
Será possível prever o fim desta linha, a de que os avós assumam a responsabilidade pelos nenês que não puderam ser criados pelos pais? Quantos filhos serão concebidos com o objetivo de garantir uma pensão alimentícia?  Talvez  o mais conveniente seja obrigar  meus filhos a fazer vasectomia.
Afinal deram direitos aos avós e tiraram o meu direito de desejar ser  avó .

3 comentários: