terça-feira, 29 de maio de 2018

O Brasil nos útlimos 10 dias. Transbordou ou Secou?



Foto de Milton Antunes

O que esta acontecendo não é o fim do mundo, é só o começo.

O prejuízo com a paralisação dos caminhoneiros não é temporária, ela é para sempre por tudo que não será aproveitado em experiência nesses dias parados.

Os caminhoneiros param o Brasil pelo preço do óleo diesel. Fizeram uma marca gigante nos acostamentos das estradas e o povo apoiou. Apoiou, mas também pagou o dobro e até o triplo do preço no litro de gasolina, para não andar a pé.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina suspendeu os prazos e o expediente por uma semana. As escolas e faculdades, as aulas. Mas, os organizadores da Festa do Pinhão em Lages (SC), disseram que a festa continua "podendo no máximo haver atraso em um ou outro show".

Faltou combustível nos aeroportos, mas não faltou para as 54 viagens da autoridades do governo nos aviões da FAB , entre os dias 20 e 27 de maio.

O governo Temer foi péssimo na condução das negociações. Ele e seus ministros riram e debocharam de todos numa nítida atitude de autoritarismo. Parecia haver em cada rosto o sonho camuflado em ser, ao menos por uns dias, um general do exército.

A paralisação começa a perder sua força. É só observar as redes sociais. Ganharam destaque e demonstraram o poder dessa classe de trabalhadores. Um movimento como nenhum outro. Sem "convocação geral", sem brigas, sem desordem, sem bala perdida, sem roubo e principalmente sem bandeira de partido político.

No Brasil falta malha ferroviária, falta política pública e decente para saúde, educação.
Falta...
Falta...
Falta... e falta atitude da população em paralisar, um dia, uma semana. Não comprar, não vender, não telefonar, não assistir televisão, não ler jornal, não VOTAR em corruptos,  pelos seus próprios interesses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário