quinta-feira, 12 de novembro de 2020

10 anos do blog SuperLinda

 

Quando comecei este blog eu era uma pessoa completamente diferente. Levava uma vida mais enquadrada num formato burocrático tanto quanto é a profissão que tenho. Achava que blog era coisa para escritores e jornalistas. Hoje sou os dois. Incentivada por pessoas próximas e sem projeção de aonde chegaria o blog SuperLinda, hoje ele completa 10 anos. Um caminho feito a base de tentativas, erros e acertos. O que aprendi foi resultado de exercícios ao longo dos anos.

Foi escrevendo, fotografando, conversando, postando e conectando com pessoas que tracei esta trajetória. Quanto mais interagia, mais ia adquirindo conhecimento. Fazer amizades reais e virtuais fizeram toda a diferença. Confesso que quando releio os primeiros posts, de alguns, sinto até vergonha de tê-los publicado. Mas me contenho no impulso de excluí-los pois é a maneira de medir o meu crescimento.
 
Ambos evoluímos: Raquel e o SuperLinda. Sem dúvida a Faculdade de Jornalismo é o marco divisor deste crescimento. O número de matrícula 20150853 jamais será esquecido. Um desafio que me fez viver um mundo de descobertas. A importância de um e de outro foi tamanha que serviu de tema para a minha monografia. Um estudo de observação de elementos textuais e estratégias discursivas de blogs políticos escritos por profissionais formados em jornalismo. Não podia deixar de dar relevância para a categoria de diploma na mão.

Se eu mudei em 10 anos, os blogs muito mais. Quando surgiram em 1997 tinham um conceito associado ao termo "diário pessoal". Atualmente o interesse na monetização mudou essa característica. Por insistir no conceito incial, o SuperLinda ainda traz na essência essa personalidade de um diário pessoal. Aqui o termo blogar por blogar é o espírito que impera. Ser uma digital influencer vai muito mais de quem se deixa influenciar pelos conteúdos do que por imposição minha.

Das mudanças, face a evolução tecnológica, o que mais sinto é que os blogs não são mais tão lidos quanto costumavam ser. As pessoas realmente pararam de ler, e não só os blogs. Atualmente tudo está estruturado em vídeos e fotos. Uma comunicação rápida de quem não tem tempo para nada. Mas fiz da escrita um modo de expressão que não pretendo abandonar. Contar boas histórias é o jornalismo que pratico.
 
Dar mais movimento ao blog é um assunto em estudo, mas confesso resisto em fazer vídeos por total falta de habilidade. Ainda batalho na associação do nome SuperLinda como um blog que sugere assuntos de moda e beleza para mulheres. Porém, mudar agora me parece um despropósito. Esse nome já carrega a personalidade do blog e a minha. As pessoas que se conectam a ele encontram alguém real por detrás das palavras, com quem podem realmente interagir. O que está postado é a minha opinião, as minhas impressões e o meu pensamento.
 
Além disso continuo no caminho contrário de quem defende que os blogs devem ter um assunto específico. Mas a espontaneidade de falar sobre o que me inspira no momento recusa essa orientação. O trabalho de um blog não é tão simples quanto pode parecer. Para escrever, criar conteúdo, ter periodicidade, manter atualizado é necessário dispor de tempo e ter perseverança. Fazer de uma ideia algo que alguém queira ler, exige dedicação. É necessário cuidado em colocar as imagens adequadas  ao texto e legendadas para acesso de deficiente visual.
 
Já não é mais um trabalho que realizo sozinha. Conto com a colaboração da colega e jornalista Fernanda de Lourdes Pereira para a edição de textos maiores e mais complexos. A função de criar arte e divulgar nas redes sociais é assunto delegado à colega, também jornalista, Leticia Rieper. Além da revisão gramatical, um auxílio que recebo,  quando consulto, da minha amiga professora Sara de Moura.

O suporte da parte técnica, layout, plugins, velocidade de carregamento, segurança, trabalhar em sintonia com as expectativas do Google,  é de Ricardo Von Linsingen, desenvolvedor deste site e grande incentivador nestes dez anos. Pesquisar e entender as estatísticas, o porquê de alguns posts terem mais acesso do que outros para os quais nem dei tanta importância é quase um enigma. 
 
Sim, é preciso muita dedicação e tempo para alimentar um blog. Talvez, por isso, já tenha esmorecido tantas vezes. Mas continuo em busca de conteúdos interessantes e com muitas experiências sendo compartilhadas. Os blogs já não fazem mais o papel que tinham quando surgiram, mas ainda é uma ferramenta de pesquisa e que atraí leitores em busca de informação de qualidade. É um ambiente que permite interação, comentário de publicação imediata. As evoluções tecnológicas continuarão, mas saber quem está por traz deste ambiente é a carga de confiabilidade que ainda atraí o leitor. 


Legenda de foto para acesso do deficiente visual. #pracegover. Foto/Card ilustrativa feita com fundo preto, letras e detalhes dourados. Foto minha usando blusa branca, sobre a cabeça foi aplicado chapéu de palhaço dourado com estrelas pretas. Um bolo de cor branca e sobre ele velas representando o número 10. Na parte superior está escrito 10 anos do blog SuperLinda. Arte de Leticia Rieper.

- Seu blog dá acesso ao deficiente visual?     



4 comentários: