sábado, 16 de novembro de 2013

Cenas do Cotidiano Na Praia


PRAIA  é um lugar de características próprias.

É um lugar de descanso, lazer, diversão.

É também um lugar onde os critérios de boa educação nem sempre são observados.

Ir à praia em período de férias ou feriado, está tornando-se um caos.

No meu caminhar pela praia hoje, observei os hábitos dos que estavam lá.

Não é crítica, não é elogio, é constatação.

Há os que amam, os que odeiam e os que gostam, simples assim, sem radicalismo.


VENDEDOR AMBULANTE

O vendedor de rede do nordeste virou figura típica nas praias do sul. Mas ele já era. Agora ele também vende toalha de mesa e até cobertor do Paraguai.

Na praia vende-se também chapéu de palha de todos os tipos e modelos.

Quando chega o vendedor de vestidos, a praia transforma-se num verdadeiro provador público. As novidades são as estampas de Romero Brito nas cangas.

Ele também esta lá. O primeiro dos vendedores ambulantes, o vendedor de brincos e penduricalhos. 

Remanescentes da era riponga, que surgiram nas praias há décadas.

De Ibiza à Punta Del Este, da Praia do Futuro, passando por Itapoã, Ipanema, Jurerê Internacional e  parando em Meia Praia. Não tem essa de praia mais ou menos chique,  eles são presença constante.  



Na praia tem água, água de côco e sorvete de todas as marcas e sabores.




A concorrência e a propaganda a céu aberto estampado nos guarda-sóis.



ESPORTE

De um lado a turma do dominó e no outro a turma organizando o time de futebol.
Da banana boat, agora também em forma redonda ao mais tradicional dos esporte de praia, o frescobol.
Uma academia para os bombados e o slackline duas modalidades da atualidade.

Humm!!! Sorriam!!!! diz Gizzzz !!! e a paradinha para registrar o momento praia, foi predominante do começo ao fim da minha caminhada.




COMIDA

Você não precisa mais levar comida para praia. 
A praia atual leva a comida até a sua cadeira na areia

Garçon caricaturado de pirata serve para chamar a atenção da clientela.

Mas não precisa necessariamente estar fantasiado ou vestido de garçon. Qualquer um que tenha pernas fortes para o subir e descer da praia ao restaurante, esta apto para servir a isca de peixe ou a água de côco em nossas cadeiras.

E o milho verde? Quem não gosta? Eu adoro.

Churros recheado de chocolate quente, quem quer??? EUUUU.

Só esta faltando a salada de fruta servida no abacaxi, que tem lá em Bombinhas, a melhor praia da chamada Costa Esmeralda, no município de Porto Belo (SC).




Condomínios de luxo, piscinas de frente para o mar, só para nos matar de inveja...



Não adianta querer entende o porquê, se é bom ou ruim, se combina ou não. Em praia que tem gaúcho tem garrafa térmica com água quente, cuia  e chimarrão.
E por aqui, já nem estranhamos mais.


Os familiares do especiais, que sem ter do que se envergonhar ou esconder, levam seus queridos à praia.
Encontrei também uma criança, que visivelmente é portadora de paralisia cerebral, acomodada em sua cadeira de rodas, ao lado dos pais sob o guarda sol.




Crianças que ainda fazem castelos de areia e outras que reinam jogando-se ao chão por que não querem ir embora. 
Como fazê-las entender que o sol das 11:00 provoca câncer. 
Ôhh, mundo ingrato!




Como toda praia que se preza, sempre tem aquele que gosta de empanar-se na areia.



Tem o momento filtro solar, uma espécie de preliminares explícita a céu aberto. Quem não gosta?



Tem a turma do livro, a turma do celular na sua grande maioria e já percebe-se a chegada dos tablets à praia.









Serviço 



        e


Segurança










O calçadão para prática de esportes, o cachorrinho daquele que o dono sempre acha que é limpinho e o seu, pode ir à praia.

Tudo isto vi hoje na praia de Meia Praia em Itapema, Santa Catarina.






Postado por







Raquel Ramos

raquel@superlinda.com







13 comentários:

  1. Raquel

    Adorei seu "olhar" para a um dia na praia, isso acontece acho que em todo o Brasil e aqui em Recife, não é diferente!! Parabéns pelo post!

    Bjoss, Sheyla.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyla, talvez em Recife só não tenha o vendedor de rede. rsrs

      Excluir
  2. Fantástico esse seu post Raquel. Achei muito interessante, recheado de fotos, um must. Congratulations.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helinho, obrigada e fica de "olho" cuidando...vc tbém é responsável. Um grande abraço.

      Excluir
  3. Olá Raquel!!
    Realmente a praia tem de tudo, adorei as fotos e o seu ponto de vista!!
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Josye, praia é do lixo ao luxo, em qquer lugar. Obgda e abraços.

      Excluir
  4. é FATO... não existe espaço mais democrático na face da terra que a praia; de ricaço a pobraço, todo mundo pode ir. É fato também que os detalhes a volta deles os diferencia, mas aí é que está a graça da praia.

    Post ótimo... adoro fotos da vida em movimento. Já fiz alguns posts no meu blog sobre, mas é fato que tiro mais foto que posto. Vão ficando perdidas no PC...
    Mas a rua é incrível, é só a gente reparar pra ver que mistura incrível, que cores fantásticas, que imagens curiosas a câmera pode captar, basta o fotógrafo ter a sensibilidade de saber que vale a pena capturar.
    No celular, na câmera profissional, não importa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Luallessi, a gente vai caminhando fotogrando e mentalmente já vai fazendo o posto no blog. rsrs abraços.

      Excluir
  5. Amei, Distri!!! Muito bacana mesmo. Aquela do cachorrinho, eu ri muito, porque sempre que vejo um na praia penso a mesma coisa, rsrs

    ResponderExcluir
  6. Amei, Distri!!! Muito bacana mesmo. Aquela do cachorrinho, eu ri muito, porque sempre que vejo um na praia penso a mesma coisa, rsrs

    ResponderExcluir
  7. Novamente, está de parabéns. As fotos estao ótimas e as observacoes maravilhosas. Nada como ter olhos para ver...

    ResponderExcluir
  8. Menina morei 1 ano em Itapema, foram bons tempos. Deu saudades.

    ResponderExcluir