domingo, 21 de setembro de 2014

Cenas do Cotidiano na BR-376/PR


Apenas 110 km separam Joinville (SC) de Curitiba (PR). Isso faz do ir e vir de uma cidade para outra, coisa comum do dia a dia do joinvilense.

Usamos e abusamos especialmente de seus médicos, seus restaurantes, sua vida cultural e muito do seu aeroporto.

Mas o preço para tudo isto está cada dia mais alto. 

Fazer este trecho é como "fazer travessia".
_Um verdadeiro inferno, como diria a minha avó.

Não é pouco o tempo que temos de ter disponível para as paradas motivadas por acidentes na estrada. 

Ficamos em situação de total impotência sem ter para onde correr ou o que fazer, expostos  a toda e qualquer situação de risco.

Para os motoristas de caminhão isto parece já fazer parte da rotina. Comportam-se com extrema educação e paciência.



Aos poucos todos vão saindo dos seus veículos, agrupando-as em rodinhas e a conversa rola solta.

O assunto é sempre o mesmo. O trânsito, a demora, o congestionamento, para estão indo ou voltando e os transtornos que isto acarreta. Confessou-me um deles.
Nada mais nada menos do que assuntos do cotidiano de quem está na estrada.




Preocupante mesmo é a situação das crianças. Certamente impacientes, saem dos carros assim como seus pais correndo sérios riscos de um acidente ainda maior.


O comércio ambulante de água, refrigerantes e pipoca da pior qualidade possível está estabelecido e tem concorrência.


Assim como o trabalho infantil. Infantil??? Sim. Aqui parece liberado.

Comprei uma "roleta" ao custo de "cinco real", obtive a informação de que havia ocorrido um acidente com um caminhão de melancia e que ia demorar por volta da duas horas.

_Estão limpando a pista, dona.


Todos os ambulantes prestam este serviço de informações, alguns pouco confiáveis. 

O vendedor de água havia me dito, que duas pessoas estavam presas nas ferragens do caminhão. Mentira.


Lá estão as melancias espalhadas pelo asfalto. Certo estava o menino.


Nem tudo está perdido, o senhor do carrinho de mão que o diga.



O problema do transporte rodoviário também é uma séria questão no Brasil, mas não podemos eximir a grande responsabilidade dos motoristas, pelos acidentes.

Este trecho da BR-376 por onde transito semanalmente, é perigoso por ser uma serra, porém totalmente sinalizado, com radares e redutores de velocidade, que se observados poderiam evitar muitas tragédias e mortes.

Transtornos que vão muito além de um simplesmente atraso na viagem.

#errohumano.

*Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui
-1 foto da fila de caminhões e carros parados na estrada - 2 foto de pessoas conversando na beira da estrada - 3 e 4 - foto de crianças brincando fora do corra em cima do asfalto - 5 foto dos vendedor de água e pipoca - 6 foto do menino vendedor - 7 foto do homem levando melancia no carrinho de mão.


3 comentários: