quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

BELTERRA UMA CIDADE AMERICANA NO PARÁ


                A casa de Henry Ford

Foi no café da manhã na padaria que ficamos sabendo da peculiaridade de uma cidade chamada Belterra "a cidade americana no coração da Amazônia.

Sem estardalhaço chegou o senhor Joni, dirigindo uma moto. Simpático, falante com as atendentes. Esse conjunto nos chamou a atenção. Convidado a sentar-se em nossa mesa, não nos poupou de seu conhecimento e histórias de viagens. Entre tantas ele sugeriu que fizéssemos o retorno de Alter para Santarém via Belterra. Justificou dizendo ser uma cidade de colonização americana.
Foi uma surpresa e tanto. Mais conhecimento e cultura aqui no #superlinda. Isso é História do Brasil que poucos brasileiros comhecem.
Embora tombado patrimônio o estado de conservação das casas e prédios públicos é péssimo. A Escola Henry Ford e a Creche Edsel Ford, foram trocadas de nomes. Sem nada contra os homenageados atuais, a substituição comprova o pouco valor que se dá à história no Brasil.
BELTERRA existe, mas sua verdadeira história pode estar se apagando.
Além das casas da vila destacam-se um trator americano de 1934 colocado no parque de seringueiras da PMB, a caixa de água feita toda de rebite sem nenhuma solda, e a casa construída para o próprio Henry Ford, embora nunca tenha vindo ao Brasil.
O Centro de Memória estava fechado e as informações abaixo foram pesquisadas na internet.

Com o objetivo de abastecer sua empresa de látex necessário à confecção de pneus para automóveis, o empresário norte americano Henry Ford, através da empresa Companhia Ford Industrial do Brasil, se instalou no Pará por uma concessão de terras feita com aquele Estado. Os termos do contrato isentavam a Companhia Ford do pagamento de taxas de exportação de borracha, látex, pele, couro, petróleo, sementes, madeira ou qualquer outro bem produzido na área. 
BELTERRA é resultado deste projeto, após o fracasso ocorrido com Fordlândia_hoje Aveiro_decorrente da inexperiência dos gerentes da Ford em agricultura equatorial.


Em 1934, Ford trouxe dos Estados Unidos todo o material e a mão de obra usada na construção das casas. Assim levantaram uma vila totalmente no estilo arquitetônico americano.
Restou para BELTERRA a construção de hospital, estação de captação, tratamento e distribuição de água, usina de força, mais de 70 km de estrada, porto fluvial, estação de rádio e telefone, duas mil casas para os trabalhadores e administração, departamento de pesquisa e análise do solo, centro de análise de doenças e autópsias.
Foi um período em que BELTERRA ficou conhecida como a "cidade americana no coração da Amazônia"  O projeto deu uma estrutura nunca antes montada em toda a região.
Além dos americanos a cidade foi povoada de nordestinos, que eram registrados com Carteira Profissional assinada, recebiam uma placa de identificação e moradia. Os muitos benefícios não foram suficientes para impedir as discordias culturais entre os brasileiros e americanos.
Com o surgimento da borracha sintética e o falecimento de Henry Ford seu neto Henry Ford || assumiu o comando da empresa nos EUA e decidiu encerrar o projeto de plantação de seringueira no Brasil.

Um comentário: