quinta-feira, 18 de outubro de 2012

BRANCO, O Meu Cavalo -



O que começou com o objetivo de agradar a alguém, terminou por me encantar.  
As aulas de equitação, me colocaram em contato direto com o cavalo,  para que eu aprendesse a lidar com o animal: uma aproximação corpo a corpo que nunca havia acontecido antes. 
Essa aproximação, reconheço, despertou em mim o gosto pela prática da cavalgada. Dá uma sensação mista de poder e liberdade.
Já ouvi muito, "quem te viu e quem te vê", "quem diria…hein Raquel?", ou coisas como "para quem sempre disse que nunca iria fazer isto…", enfim uns por ironia, outros por admiração, a verdade é que eu também me surpreendo com a intimidade  com que me vejo na lida com o cavalo.
Introvertido, postura séria, o cavalo parece não ter necessidade de muito contato físico com você. Só vem ate nós quando é chamado e duas batidinhas de mão levemente no seu dorso, são uma demonstração de  agradecimento mais do que necessária. 
Assim é o temperamento do cavalo, sem nenhuma carência ou cobrança afetiva. Eu também gostaria de precisar de tão pouco....
O Branco é meu, ganhei de presente.
Já passou por várias  mãos ou bundas, algumas muito indesejáveis...e quando ele se for, continuará sempre sendo meu. 
Branco é o meu cavalo, o meu primeiro cavalo.

Um comentário: