segunda-feira, 23 de julho de 2018

O SuperLinda nas Ilhas do Rosário - Cartagena das Índias - Colômbia




As ilhas do Rosário é um arquipélago do Parque Nacional Corales del Rosario.  Formado por um conjunto com 27 ilhas que recebe este nome por ter o formado de um rosário.

A maior entre elas é a Ilha Baru, com 7 mil habitantes e considerada a de melhor infraestrutura. Elas são distintas, também, quanto a exploração. Há as de concessão para uso comercial do turismo e as que são preservação ambiental.

Equivalentes em beleza, uma observação do ponto de vista de probabilidade,  pois é impossível visitar todas. Porém, é  do mar do Caribe, que estamos falando, sendo assim, são praias de mar com temperatura ideal, de águas cristalinas, com vários tons de azul turquesa, próprias para banhos, mergulhos de esnórquel ou ver aquários. 

A ilha aqui mostrada é a do Hotel Ilha do Pirata. Um nome que remete à crueldade de homens que atacavam navios no Mar do Caribe, na busca de ouro. Quem diria, tanta maldade no nome de um local tão lindo. Para muitos brasileiros, pirata é apenas uma fantasia de carnaval ou dos livros de aventuras infantis.

O embarque para chegar até lá se dá no cais do porto de Cartagena onde há vários tipos de embarcação. De comum com lugares turísticos existe, o burburinho daqueles que oferecem o seu passeio como sendo o melhor, a bela vista dos iates e barcas, já em movimento, a borbulhar a água e o desfile de musas que não chegam a ofuscar as palenqueras em seus vestidos coloridos a se misturar com as cores das frutas que oferecem.

O translado até o pier de destino leva em torno de 45 min, mas antes, Ronald, com a voz jovem, forte e alta, me parecendo proporcional ao seu tamanho, cumprimenta a todos e orienta sobre os cuidados com a limpeza do meio ambiente e com os objetos pessoais para não caírem na água. Embora gentil, senta-se na parte da frente do barco e, como quem vive cotidianamente aquele cenário, abaixa a cabeça, coloca o fone de ouvido e vai, durante todo o trajeto, olhando para o celular. Um comportamento próprio de quem conhece uma a uma todas as ondas daquele mar.

Na chegada à ilha, cerca de cinco a sete nativos, se esmeram em oferecer como cortesia algumas pedras de coral presas num cordão de nylon para que os visitantes coloquem no pescoço. Alguns ignoram, outros aceitam a oferta, já sabendo que a "cobrança" virá depois em forma de algo para comprar. E, isto não demora a acontecer. Com o tempo de permanência previsto de 4 horas, incluindo o almoço, eles aparecem sugerindo a compra de lagostas para degustação.

Embora, a maioria dos turistas vejam os vendedores locais como exploradores, eles, além de estarem trabalhando, podem ser uma grande fonte de informações. Foi assim que Dionísio, falou que o fruto em cachos na árvore anminha frente se chama "uva de praia" que amadurece em novembro, e sobre algumas das dificuldades do lugar, como por exemplo, a de que ali não há água potável, "toda ela vem de Cartagena". 

Isso explica porque é possível ir para um lugar paradisíaco como este, se hospedar e dormir praticamente como o pé dentro d'agua, mas que o hotel não oferece banho de água doce para o hóspede. 

Voltando às lagostas de sabor incomparável, servidas na beira da praia,  o homem que mora na ilha há três anos, se pôs a destrinchar  o crustáceo com uma habilidade de quem é nativo, diante da visível dificuldade demonstrada por quem é turista. Em agradecimento, lhe foi oferecido uma porção, ficando a surpresa por conta dele rejeitar. "Numa próxima visita" disse ele: "traga um pedaço de carne de res". Res é carne de gado. Curiosidades de quem, vai ali nos fundos de casa e tem lagosta em cima da mesa todos os dias.

É conversando, e porque não dizer, comprando alguns corais, que aprendemos.

Vista panorâmica do cais do porto de Cartagena

Turistas no pier do porto de Cartagena

Palenquera e suas frutas

Foto aproximada de perfil da palenquera

Pier na Ilha do Pirata
Habitantes da ilha, vendedores de serviços e artesanatos

Foto aproximada do artesanato de Dionísio
Prato de lagosta

Dionísio destrinchando a lagosta
Vista de uma pequena ilha particular

Vista de um chalé do hotel a beira do mar

Vista panorâmica do pier, mar, uma ilha
Pelicano sobre o pier, asas levantadas, pronto para dar o bote e pescar o alimento
Escultura de uma sereia dentro do mar e uma pequena ilha aos fundos
Fruto "uva de praia".

Nenhum comentário:

Postar um comentário