segunda-feira, 6 de maio de 2019

Quando escrever e publicar ou escrever e deletar.


"A doçura que transmite em palavras como saudade, cheia de amor, é capaz de explodir em agressividade, quando se transforma em uma saudade a nos matar de tanta dor". Frase do SuperLinda no texto sobre a Língua Portuguesa.

A foto foi enviada, recebida e lida, conforme registro da hora, validado pelos pontinhos azuis. Em tempos de WhatzApp, os tais risquinhos azuis valem mais do que assinatura em recibo de AR.

Feito o post no Instagram desisti de falar mais sobre aquele sentimento. Escrever, mesmo que poucas palavras, como as redes sociais aceitam, serve como desabafo. Conheço pessoas que após escreverem, rasgam, deletam seus registros, pois aliviadas, como quem conversa com alguém, acham bobagem publicar. 

Sou daquelas que entendem que amor não acaba nunca. Eles pausam. As lembranças ficam. Sou capaz de relembrar, em pensamento, amores com a mesma intensidade do período em que foram vividos. Por detrás daquela foto sei exatamente o que estava sentindo e porque estava sorrindo. Este foi o motivo da postagem. Uma saudade daquele momento "a nos matar de tanta dor".

E entre postagem, publicação, escrever e deletar este post parece ter se deparado com uma bifurcação. Feito por um motivo, acabou encontrando outro. Para qual lado devo seguir?

O primeiro, e não posso esquecer dele, foi falar de saudade, de amor e de dor. Em um dia de felicidade em alta, com o amor estampado no brilho dos olhos, tal qual um emoji, essa foto foi enviada para uma pessoa. Hoje essa relação não existe mais. Mas, e o amor? Ele ainda existe?

E decidi que escrever o meu sentimento é o que de mais importante tenho a deixar registrado. Quantas pessoas podem ler isso e se identificar? Quantas concordam mesmo que nada comentem? Quantas se sentirão aliviadas, de alguma forma, por já terem passado por experiência parecida? 

Neste texto senti isso. Aliás, em muitos outros também. Assim tomei coragem para expressar esta experiência, o que veio a ser o segundo caminho da bifurcação.  Pode parecer bobagem, mas desde então vivo um conflito entre o que é importante: escrever e publicar ou escrever e deletar, arquivar ou guardar na gaveta, por achar que a ninguém isto vai interessar.



*Na foto, os nomes e data foram excluídos e assim resguardar a privacidade.





Nenhum comentário:

Postar um comentário