quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Jardim de Monet. A natureza eternizada nas telas de Claude Monet.


Eu, com jaqueta azul marinho, escrito SuperLinda.com nas costas, de frente para o cenário do lago Ninféias. Muitas plantas em vários tons de verde formando espelho de d'agua.
Engana-se quem pensa que o jardim de Monet é para ser visitado apenas pelos amantes do Impressionismo. Localizado na pequena cidade de Giverny, cerca de 80 km de Paris, visitá-lo é se apaixonar, se ainda não é, por Claude Monet.

Mesmo que seja apenas entrar nesse mundo, dentro do conceito de experiência estética, bater uma foto tal qual o artista, na mesma sala, entre os seus quadros, objetos de decoração da casa, e ter a sensação de sentir Monet ao seu lado, é de tirar o folêgo. 

Enquanto se observa os detalhes, a escrivaninha, a janela com vista para o seu famoso jardim de flores do campo,  as poltronas, o busto de bronze, fotografias antigas do mestre, "impressionam" pelo sentimento que toma conta de qualquer visitante.


Montagem de três fotos da sala da casa de Monet. Em cima, a sala inteira com Monet de pé ao centro. No meio, eu com jaqueta escrito o nome do blog nas costas de frente para os quadros de Monet pendurados na parede. Na última o canto esquerdo da sala com quadros, fotos e uma escultura do busto de Monet.

Monet, viúvo e com dois filhos, casou-se em segundas núpcias com Alice Hoschedé. Foi quando comprou a casa e mudou-se para Giverny. Como não é diferente nos tempos de hoje, passou por muitas dificuldades financeiras por viver de sua arte. Só a partir de 1886 sua carreira alavancou. 

Além disso, contrariando a família que queria que ele frequentasse a Escola de Belas-Artes, Monet preferiu estudar no Atelier de Suísse. Sua opção por esta escola era por ser um sistema que adotava um ensino menos formal, permitindo-lhe a pintura ao ar livre. Técnica que ele desenvolveu com maestria criando em sua casa o cenário natural para as suas telas.

Percorrer os canteiros é não dar descanso para a câmera fotográfica, tal a exuberância das flores encontradas. Estar no jardim é sentir-se modelo das telas de Monet no mesmo cenário do lago das plantas aquáticas e da ponte japonesa. Telas em que ele tanto retratou, através da pintura, a sedutora e enigmática Ninféia. Cenário de cores que não se distinguem, mas dão um tom inconfundível ao lago. 

As flores, mesmo que sejam replantadas, traduzem a imagem vista nas pinturas. Os quadros expostos na casa são réplicas, já que os originais estão nos museus, e por isso mesmo o envolvimento é surpreendente. 

E para que tantos se encantem, há os que cuidam e limpam a vida que nasce da terra e da água, criando o romantismo das flores de quem passa poucos, mas intensos momentos mágicos.

Seu blog dá acesso ao deficiente visual?    Fotos legendas para acessibilidade do deficiente visual. #pracegover

Fachada da casa de Monet em cor de rosa, venezianas e escadas em cor verde. Canteiro de flores rosas próximo da escada e canteiro de flores vermelhas na frente da casa.
Eu subindo a escada de entrada na Casa de Monet rodeada de flores rosa, roxa e branca.
Foto panorâmica da sala com pinturas na parede com os quadros de Monet.
Área externa do jardim da casa de Monet. Vegetação verde com flores coloridas.
Foto de visitantes na ponte japonesa entre muitas plantas em tons de verde.
Corredor externo do jardim de flores do campo coloridas com a casa de Monet nos fundos
Montagem de duas fotos com trabalhadores limpando as águas do lago e outro regando canteiro de flores.
Eu, usando calça comprida preta, blusa laranja, bolsa vermelha, no centro de compras do Museu e Jardim de Monet segurando a réplica de um de seus quadros.

2 comentários: