sexta-feira, 7 de agosto de 2015

LÁ NO GOIÁS...

Andei lá pelas terras do Goiás. Foi esta a expressão que mais me chamou a atenção, para quem só falava "em Goiás".
Quando comentei sobre este detalhe ouvi que: Se alguém te corrigir é porque não é do Goiás

Me senti tão segura que nunca mais falei errado.

E assim a minha viagem lá pelas terras do Goiás foi repleta de êxito, beleza, boa comida, diversão e convívio com pessoas que me trataram como princesa.

Aquilo que você planta você colhe. Deve ter sido no Goiás, uma terra cercada de plantação por todos os lados, o lugar que inspirou este ditado popular. Parece que de onde brota o soja e o milho, brotam as pessoas que lá vivem com suas gentilezas naturais e a sonoridade das músicas de corações apaixonados dos sertanejos.
Não economizam agrados vindos em forma de abraços, sorrisos, comilança e música. 

Qualquer junção de pessoas para uma reunião social torna-se como eles dizem uma "resenha" e cantor é o que não falta por aqui.

Waldir, o dono da casa. O único que temi, pelo seu jeitão sério, e que ao final demos muitas gargalhadas perguntou-me: 

_Raquel você já ouviu "Menino da Porteira"
_Respondi SIM. 

Certamente ele conhecia a minha resposta. Eu é que não sabia o que ouviria em seguida.

_...Mas nunca aqui no Goiás. Então ouça especialmente para você. 

E Rui começa a cantar e tocar.

Quem não gosta de um carinho assim?


A tradicional comida da região feita pela Ana. Galinhada, pequi, tutu de feijão, pernil de porco cozido e frito, arroz com costelinha, torresmo e a carninha. Essa comida no boteco da estrada.
"Ôh trem bom de comê".

Quando ao final com todos satisfeitos, ouvi mais uma expressão interessante: comi da largura da boca.
Confesso que sem entender o que falavam, pedi para repetir três vezes. Em certos momentos tem-se a impressão que os goianos têm uma dialeto próprio. Impossível compreender o que dizem.
E lá no Góias, todo dia é dia comer da largura da boca, não há como ser diferente.  É comer até passar mal, comer demais.

O meu carinho para quem não economiza sorrisos, nem biscoito de queijo quentinho, no café da manhã.

Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui  1- video do Rui cantando Menino da Porteira. 2 - Foto minha com Waldir e Rui com o violão. 3 - Foto da carninha, uma espécie de bolinho de carne empanado e apimentado e uma garrafa de smirnoff ice. 4 e 5 Foto da mesa com as panelas de comidas servidas. 6 - 7 - 8 Fotos com as pessoas presentes no almoço.  9 - Foto da forma com o biscoito de queijo para assar.

Um comentário:

  1. Eh Raquel! vendo lendo ouvindo, me da uma saudadeeeeeeeeeeee dos dias que passamos lá... Foi perfeito volte quando quiser! Bjs

    ResponderExcluir