segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Mais uma da tal da traição




Sempre que tomo conhecimento de mais um caso de traição, meu coração dói. No quesito relacionamento não há dor maior.

Em se tratando de caso ocorrido com "os outros" sempre temos uma palavra de consolo e principalmente sabemos dizer de forma convincente e amadurecida, que é mesmo assim, que a traição existe e que todos um dia já passaram por isso, etc etc.

Já fui muito mais radical sobre este assunto, o que não quer dizer que tenha mudado de comportamento seja na posição passiva ou ativa.

É algo como: Convençam-se. Isto é uma realidade do comportamento humano.

Quando você menos espera, fica sabendo de alguém que traiu e que este foi o motivo de mais uma separação ou relacionamento. Isto pode acontecer com você, com seus amigos e com pessoas com quem você jamais imaginaria.

Quem nunca traiu, um dia trairá, é melhor pensar assim.
Racionalmente este deveria ser nosso pensamento, mas nada do que se refere a sentimento é racional. 

"O adultério é o sal do casamento....e nem todos são da cintura para baixo." "...no coração, na imaginação, nos sonhos, e de vez em quando na realidade." Frase do Livro de Receitas Para Mulheres Tristes.

A antiga e velha posição de que isso é coisa de homem, já não é mais uma unanimidade. O sexo frágil hoje é expert no assunto. Mas o homem ainda detém a vantagem da compreensividade quando é ele quem faz, a tal coisa de homem

Compreensão para trair, mas não para ser traído. 

Neste caso ele sofre muito mais do que a mulher. Sabe como é né?  Não está acostumado a isso.

Você tem um relacionamento e certamente terminará como sempre acontece, quando sabe que foi traída (o). Porque continuar naquele relaciomento é viver fazendo de conta que esqueceu o que nunca será esquecido. 

Então você ofendida, deixa-o livremente para outra...

Mas a verdade é que em um novo relacionamento, você continuará sentindo aquela mesma dor e estará  sujeita a novas traições. É só uma questão de tempo.

Começo a dar razão a uma amiga que sempre me disse isso, não vou identificá-la para preservar a identidade e à psiquiatra Regina Navarro Lins  que se não defensoras da liberdade dos relacionamentos, no mínimo compreensivas.



 Já se sentiu evitado por uma ou mais pessoas em algum momento da vida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário