sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Vitimização de "Lula, sem passaporte".



Deu-se início ao processo de vitimização de "Lula, Sem Passaporte" nas redes sociais. Foi determinado a apreensão do passaporte de um cidadão que responde a processos na justiça, já condenado em outro, impedindo-o de viajar para o exterior. Qual a irregularidade que há nisto.

Seus defensores chegaram num ponto em que o que dizem já não tem mais nenhum sentido. Absurdam nos comentários sem discernimento algum, tal qual o personagem principal da trama sempre o fez.

Para eles, Lula, o intocável, continua inocente, injustiçado e perseguido. A Polícia Federal, o Ministério Público, Sérgio Moro, e agora, os três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4, estão todos mancomunados, em condenar o réu. 

Como se não bastasse, o Juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, determinou que o passaporte de Lula fosse apreendido, impedindo-o se viajar para a Etiópia. Na África, ele participaria de uma reunião da ONU para discutir a erradicação da fome naquele Continente. 

_ Qualquer relação entre erradicar a fome na África, depois dos programas de combate à miséria que seu governo aplicou no Brasil, só pode ser ironia. 


No mesmo dia (25/01) em que Gleisi Hoffmann (PT-PR), como presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores, lança a candidatura de Lula à presidência, a procuradora-geral da república, Raquel Dodge solicita ao Supremo Tribunal que a senadora perca seu mandato, seja condenada por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Lava Jato. 

Em sã consciência, há quem dê credibilidade a um ato entre partes com tais qualificações? Uma situação que remete a personificação dos vilões "Matador e Maaaatador", do desenho animado Jambo e Ruivão.



Seus seguidores podem falar o que quiserem, o fato é que Lula foi condenado. Irá para a prisão? Ninguém sabe. Queiramos ou não, ele não é um cidadão comum como os chamados ladrões de galinha. Mas, a condenação dele vale, e muito. É preciso punir os criminosos. Impossível continuar com essa imoralidade. 

Os atuais acontecimentos são históricos. Que se perpetuem na nossa memória. Mas, a verdade mesmo é que ainda tem muito canalha e corrupto para ser condenado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário