quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Rio de Paz

 
Vista do rio margeado de vegetação, entre treliças de madeira.


Música premiada em 1º Lugar no 25º Encontro Costeiro em Porto Vera Cruz (RS), realizado entre os dias 02 a 05 de novembro de 2017.



A letra dessa música conta uma história de amor de aproximadamente 40 anos. Uma grande paixão que envolve um casal desde a sua juventude. Porém, a fúria das corredeiras da vida já os separou e os uniu ao longo dela, algumas vezes. 

O sujeito da oração, nesses versos, vive em um turbilhão e não resiste as tormentas de outros abraços. Enquanto o outro lado busca, também, outros olhares e mãos ao encontro do remanso de águas quentes em forma de carinho.

Um amor que não acaba nunca, nem se despede, apenas pausa. Entre eles nunca haverá nada que impeça suas vozes de encontrar seus ouvidos. O rio, embora de paz, segue a correnteza em busca da mansidão da vida.

14 de fevereiro - aniversário - Valentine's Day.


"No remanso do teu peito
Onde curo meu cansado
Desfrutando teus carinhos
No aconchego dos teus braços

Eu rogo pra que meu verso
Não morra sem falar tudo
E que tu estejas presente
Até em meu cantar mudo

Eu quero essa paz que existe
Em nossa cumplicidade
Pra não nos sentirmos tristes
Nos remansos da saudade.

A vida as vezes imita.
A fúria das corredeiras,
E o tempo agita as almas
Feito as águas na cachoeira.

Sei o mapa do teu corpo
Pra encontrar o teu sorriso,
No remanso dos teus olhos.
Eu bebo a paz que preciso".


Letra: Jucemar dos Anjos, Silvio Genro e Dilson Weber
Música: Nelci Morales e Vinícius Ribeiro
Interpretação: Nelci Morales e Vinícius Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário