segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Quanto Tempo Sobrevive um Blog de Mãe?









Montagem de nove fotos que serviram para ilustrar posts destes blog, entre eles o Especial com Ádria Santos, Uma Vida em 52 objetos, BC de Esmaltes, BC é Cafona Mas eu Gosto, Divulgando o SuperLinda, Eu e o Ricardo com nossos amigos Silvia e Werner, Sabonete Phebo, não Importa Onde, Importa Juntos.




Trechos do que li e achei relevante no blog "Desabafo de Mãe" e se você quer blogar um dia, recomendo a leitura antes de começar a fazê-lo. 






Recebi uma intimada de Ceila Santos, para opinar mais uma vez  sobre a questão da sobrevivência de Blogs de mãe.

Um dos maiores problemas que tive no início do meu blog, foi decidir sobre qual assunto eu abordaria. 

Tudo o que li sobre como fazer o seu blog deslanchar, falava em ter um assunto definido, um público alvo e a tal da interatividade na blogsfera.

E aí estava realmente um grande problema para mim. O tal do assunto único.  

Não conseguia enxergar sobre o que eu deveria tratar. Moda, educação, cultura, esporte, filhos, viagem, dentre a infinidade de assuntos que existe por aí.

Eu sempre quis falar de tudo. Não por ser pretenciosa ou conhecedora de todos os assuntos, mas por não ter nenhum assunto específico para falar.

Por isso defino, o SuperLinda como um blog de "achismo". 

Sobre a escolha do nome SuperLinda, nunca foi cogitado ter outro nome. E sobre este nome tenho posts no blog explicando.

Foi assim que decidi e que tudo começou. Tem que ter o seu jeito especial de ser.

Tempo para blogar? 
Eu não sou uma blogueira profissional, sob o ponto de vista de quem ganha dinheiro e se sustenta com ele. Tenho a minha profissão formal e dela não posso abrir mão.

Mas tempo para blogar consigo sempre.

Quando "Desabafo de Mãe", pergunta sobre o tempo de sobrevivência de um de blog de mãe, só tenho uma resposta:

_O mesmo tempo que qualquer outro, não importa o assunto. 

Só é preciso que o blog tenha vida e brilho.






15 comentários:

  1. Oi, Raquel!
    Nunca parei para pensar na sobrevivência de um blogue de mãe, mas imagino que dure até que "ser mãe" deixe de ser o foco principal - Nunca ou até que a mãe perceba que seu filho já não precisa mais tanto dela e que ela procure por outras atividades, um trabalho formal?
    Na verdade, não sei como as mães acham tempo para blogar. Eu sempre fui uma mãe canguru e não tinha tempo para nada mais quando chegava em casa do trabalho. Mas existem mães sozinhas, que ficam em casa a maior parte do tempo e blogar deixa de ser apenas hobby - um ponto de encontro com as outras mães.
    Que perguntinha difícil de responder!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo! Ele pode durar pra sempre, pois sempre tem um tema que chame os amigos! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Não é fácil ter um blog, ainda mais quando gostamos de qualidade e conteúdo. Tanta coisa fútil por aí, sem noção, mas mesmo fútil é bom. Tem blogs que são horríveis, mas tem tantos comentários e a gente nem entende como. A blogueira deve interagir com todos. Só pode ser isso. Não sei, criticar é tão fácil!
    Mas é bom interagir, conhecer pessoas, pensamentos diferentes, lugares distantes, tudo vale a pena quando nos acrescenta algo.
    Tem que gostar de blogar, senão não vai pra frente, não flui.
    E como vc disse, gosta de falar de muitos assuntos, isso é ótimo!
    Então, vida longa aos nossos blogs!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Querida Raquel, que coisa boa é intimar os amigos da Luma ( obrigada, querida Luma, por me apresentar a sua rede - muito boa!) porque a gente é obrigada a sair da casca...risos! Bem, essa questão do tempo pra mãe é muito importante de ser refletida. Primeiro pela particularidade que a Luma já apontou: geralmente, são as dúvidas que parem os blogs de mães, enquanto elas não são mães na prática, mas estão se gestando. Segundo quando elas estão se tornando mães na prática, as dúvidas são somadas aos pitacos e elas precisam de apoio para seguir a verdade delas e, neste sentido, a blogosfera materna tem sim suas peculiaridades, pois lida com situações muito importantes pra humanidade que precisam ser mais conscientes pra que haja mais responsabilidade de cada blogueira, seja no seu papel de interagir ou no seu papel de partilhar. Dito isto, sim, concordo plenamente que blog-vivo é aquele que traz pensamentos vivos e isso inclui o "achismo, pois só acha quem procura!

    ResponderExcluir
  5. Oi Raquel!
    Esse seu post diz tudo menina!!!!!
    Gosto muito de blogar, no meu blog falo sobre mim , conto besteiras e faço amizades. No começo a dúvida era sobre o nome e depois sobre o que falar , mas hoje penso que deixar rolar é o melhor; uma blogueira vai inspirando a outra . Que bom que existem blogueiras inspiradoras viu !
    Bjs lindona!

    ResponderExcluir
  6. Oi Raquel! De tudo o que se faz, o mais importante é gostar. Quem gosta de blogar, creio que é blogueira até morrer! Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Oi Raquel, gostei desse post.
    É difícil manter um blog com tantos seguidores. Como o meu de artesanato é muito complicado com as amigas que somem literalmente do blog e voltam quando querem fuxicar.
    Vamos blogar amiga, somos vencedorar huhu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Querida, depois te passo o n° da conta bancária para vc depositar meu cache (ou seriam royalties?) pela foto acima. No meu achismo, blog de mae pode durar a vida toda, pq filhos sempre vao apresentar novas fases e novas diabruras(ainda que como o meu, aos 40anos), cada etapa com seu novo tema; mas também pode acabar nas primeiras semanas, se a blogueira nao souber dar o tempero aos seus posts. Adoro o teu, nao apenas pela diversidade de temas, mas pela picardia, humor e humanismo que vc sabe bem colocar. E isto é importante. Isto faz durar.

    ResponderExcluir
  9. Olá Raquel!
    Amei sua postagem, também penso assim!!
    O blog vai existir enquanto tiver tempo e disposição para blogar e interagir, acredito que o blog é uma extensão de nós, por isso acontece de ter temas variados, na minha opinião é o que deixa o blog mais interessante!!
    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Luma. Chica, Clara, Célia, desenhosnacalçada, Renata, Carla, Silvia, Josye é isto que dá vida ao blog. obrigada.

    ResponderExcluir
  11. Nossa Raquel, tudo o que eu estava pensando...quando criei o meu blog "Allê Coruja" pensei na seguinte ideia: sou coruja, não no sentido de ser a sábia mas, de coruja mesmo em todos os sentidos que possa imaginar ( sou mãe coruja,filha coruja, esposa coruja, professora coruja, amiga coruja,..)quando vejo blogs com assuntos relacionados ao seu tema entro em profunda crise...kkkkkk!!
    Mãe Coruja, pq é o que sou agora, depois de anos de espera decidi pela adoção e em menos de 3 anos já tenho 4 filhos!!
    O seu post me deu um certo alívio...kkkk
    Bjsssssss
    Allê Monteiro

    ResponderExcluir
  12. Entrei nesse mundo de blog pouco tempo,este ano, aprendendo e muito com as colegas.
    Convido a me seguirem para eu aprender com vocês...kkkkkkkk
    Quero aprender sobre a questão das fotos "Deficiente visual", tenho um aluno deficiente, trabalho na sala do AEE.
    Bjssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria, que vc "se povoou" muito de uma hora para outra e se vc continua podendo blogar, deveria escrever mais sobre isto, especialmente para quem diz que não tem tempo para blogar. bjs

      Excluir
  13. Oi Raquel,
    Meu filho reclama um pouco de eu ficar muito no computador...
    S eu tivesse mais filhos acho que o meu blog não duraria!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nina, filhos sempre reclamam quando não nos veem olhando para eles. Vá administrando que dá certo. bjs

      Excluir