sexta-feira, 10 de outubro de 2014

As Cores do Funil


Encontrando-se em alguns pontos com curso do Rio Negro, muitas são as curvas da estrada que nos levam à Fazenda Funil.
Um rio protegido pela mata forte e verde, no tamanho exato da perseverança de quem luta pelo seu projeto de vida.
Suas águas transbordam alagando estradas, como a fúria de quem explode quando alguém excede o seu limite de tolerância.



Nas curvas da estrada que nos levam à Fazenda Funil, encontramos cores que traduzem muitos sentimentos. 


O rosa esmaecido, desbotado, gastado pelo tempo pode causar desânimo, nunca a desistência. Os tons das hortênsias que renascem a cada ano, servem de estímulo à vida, ao amor e ao trabalho. 
Os vibrantes tons de vermelho e amarelo encontrados, dão força e incitam a seguir pelo caminho que é longo, curvo e de altos e baixos.


E, na última das curvas, onde finalmente a Fazenda Funil surge,  um grande e imponente pinheiro avisa: Aqui a vida é verde. 
Verde esperança?
Não. Verde VIDA. 






Uma terra que recebe o nome de Funil, o mesmo nome que tem o pequeno rio que delimita o seu território. 











Deslumbra-se quem por aqui passa nos dias de hoje. Só quem tem na lembrança ou em fotos o antes e o agora, é capaz de reconhecer o valor de quem fez todas estas mudanças.
Um rancho transformado em uma verdadeira casa, porque perfeccionismo é o tom de tudo o que se faz por aqui. 


O que era assim,

Ficou assim.

Uma conquista com estratégia e arte. 
Tudo foi reaproveitado, sem descarte, preservado como personagem de uma história.
Ganhou vida, calor, cuidados e toques especiais. 

Animais que se criam e que já deram cria.




Um lugar onde o céu tem tantos tons quantos queiram ou pode alguém desejar. 





Lua mais linda não há do que a que se exibe no céu da Fazenda Funil.
Não importa se de dia ou de noite, quando se tem brilho próprio.
Vai ao infinito e além...




O barro, a lama, as botas de tom ocre, o chão batido, o banco improvisado de madeira crua, a poltrona  sem restauração de móveis usados, para um rápido descanso são itens indispensáveis neste ambiente do FUNIL.



O mato, a mata, o verde tudo tem a cor da prosperidade. O tom colocado ali por quem tem amor à terra.
                          O Funil é ele.


Em São Jorge Guerreiro, as Cores do Funil.



*Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui
1- foto do Rio Negro 2- foto de uma antiga casa de cor rosa e rodeada por um canteiro de hortênsias 3- foto de flores do mato na cor amarela e vermelha, 4- um pinheiro na esquina da entrada do Funil, 4- o pequeno Rio Funil, 5- Foto do antigo rancho e da atual casa que foi transformado, 6- Foto de outro antigo rancho reformado e feito um amplo Galpão mostrado na foto 7. 8- Foto do interior do galpão mostrando o pinhão assando sobre o fogão à lenha e detalhes do ambiente, com chapéus, utensilios de montaria pendeurados, 9- Foto da égua Chimarrita com o potrinho Thor, 10- Foto de uma ovelha com a sua cria, 11- Foto do céu avermelhado no por do sol, 12- Foto do céu azul muito escuro no entardecer, 13- Foto do céu claro com a lua atrás de uma araucária, 14- Foto da lua em noite escura. 15- Foto mostrando uma poltrona, as pernas com calça jeans, botas sujas de lama, 16- Foto do dono da terra deitado sobre pasto com o seu cachorro pastor alemão, 17- Foto da paisagem dos campos verdes do Funil, 18 - Foto da imagem de São Jorge.

Fazenda Funil - Rio Negro (PR)

8 comentários:

  1. Me sinto envaidecido e emocionado ! Sem o seu apoio eu certamente não teria conseguido !
    Muito obrigado mais uma vez ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah!!!!!Só esqueci de dizer que te amo. rsrs.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Mônica, Sempre bom ouvir o teu elogio. obrigada.

      Excluir
  3. Que fotos maravilhosas!
    parabéns!
    Um ótimo final de semana!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elyane, um grande abraço para vc também e obrigada mais uma vez.

      Excluir
  4. Um dia mais belos textos seus Quel... Gostei muito! Beijo Ana Helena

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, obrigada pelo seu comentário. beijo.

    ResponderExcluir