terça-feira, 22 de setembro de 2015

Li o Livro de STEPHEN KING - SOBRE A ESCRITA



Stephen King começa o livro contando a sua vida.
             Da infância, quando já era nítida a sua paixão por escrever ficção de terror, uma professora perguntou-lhe "porque ele desperdiçava seu talento e perdia tanto tempo escrevendo lixo". Do diretor da escola ouviu que os professores "tinham conversado sobre como canalizar a sua caneta incansável para usos mais construtivos". 

              Professor de língua inglesa tornou-se grande escritor, com vários livros publicados, passando pela difícil crise do vício da bebida e das drogas. "Eu era encantador porque é assim que os viciados são." 
             De sua vida particular, família, esposa e filhos, não deixou dúvidas sobre a importância de sua mulher, no seu desenvolvimento pessoal e profissional. "Somos sexualmente compatíveis e monogâmicos por natureza. Porém, o que mais nos une são as palavras, a linguagem e o trabalho de nossa vida. O apoio dela dela era constante... E sempre que vejo um primeiro romance dedicado à mulher (ou ao marido) sorrio e penso: "Aí está alguém que sabe". ... TER ALGUÉM QUE ACREDITA EM VOCÊ FAZ MUITA DIFERENÇA. ELES NÃO PRECISAM FAZER DISCURSOS MOTIVACIONAIS. BASTA ACREDITAR".
_Eu particularmente acredito nisso e na importância do mesmo nível cultural, para a vida em comum de qualquer casal.
              
Na segunda parte do livro, o assunto é realmente "SOBRE A ESCRITA". Ele dá uma aula de como escrever descomplicado, explica, ensina e dá bronca:
"Mas é a escrita, cacete, não é lavar o carro ou passar delineador. Se você levá-la a sério, podemos conversar. Se você não puder ou não quiser, é hora de fechar o livro é ir fazer outra coisa. Lavar o carro, talvez."

                 Faz uma analogia entre a escrita e uma caixa de ferramentas de três bandejas. Ele coloca na "primeira prateleira da escrita" o vocabulário e a gramática. Discorre ainda sobre a importância de uma boa descrição e do diálogo. Sobre o diálogo diz que é o que dá voz ao elenco. Ele é crucial para definir o caráter de cada um. "O que as pessoas dizem costuma mostrar o seu caráter aos outros...". _Penso que isto não acontece só nos livros.

                Muito interessante e deve ser mais ainda, para quem leu seus livros, é sobre a construção, inspiração, o desenvolvimento e o rumo tomado por seus personagens. Se referir a um deles, justo o mais famoso, como: "Cárie White parecia obtusa e passiva..." a princípio parece ser um absurdo.

"ESCRITA É O PENSAMENTO REFINADO"
_Mr King, aqui tenho a pretensão de dizer que nos igualamos. Foi o que publiquei em Escrever é Pensar: 
Dizem que escrevo bem. 
Enganam-se. 
Eu penso bem.

2 comentários: