segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Uma DR com BUENOS AIRES


Não há quem não se apaixone por Buenos Aires. Seu charme europeu, a sensualidade do tango, suas largas medidas, seus ambientes que sempre sugerem um vinho, o sonoro som do idioma espanhol.

Mas eu te pergunto: o que acontece conosco?

Quando estive aqui pela primeira vez num revellion, me pus linda de vestido longo vermelho para uma festa regada do melhor espumante. Ao fim dessa tive a nítida sensação de que algo ao longo da minha vida não teria o fim desejado no brinde.

Muitos anos depois voltei. Também num revellion, e neste, optei por usar cor prata tal qual estrelas. Não sei explicar, mas foi um Jdos piores que já passei. A cidade estava insuportavelmente cheia de turistas, o hotel superlotado, o que comprometeu seriamente o bom atendimento. Da mesma forma a noite de ano novo foi péssima. A bebida estava quente e a comida ruim.

Isto foi motivo para eu afirmar que nunca mais voltaria a te ver. 

Mas não resisti. Buenos Aires é provocativa. Te encontrei simpática, limpa, aconchegante, elegante. Você me deu lindos dias de sol, a ponto de me fazer dizer "tu me encantas".

Conheci lugares de uma Buenos Aires que turista não conhece.

Mas me diga, porque sempre saio daqui de coração apertado? Parece que tens uma certa implicância comigo. Penso que chegou a hora de discutir a relação.
Te peço e pareces não me ouvir.
Quero e não me dás.
Falo e me ignoras.

Buenos Aires, um substantivo feminino. Tu és mulher. Que competição mais sem sentido é essa que existe entre nós?

Ages como se eu não pudesse levar de ti, o que tens de bom, teus sentimentos.

_Será isso o que tentas me dizer? Que eu não permita que façam o mesmo comigo?

Inexplicavelmente temos uma antiga rixa ou há algo que me escondes para quem sabe um dia me surpreender?


6 comentários: