quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Na Casa da Mãe do Juarez...

...ali na rua Lages, naquela casinha onde morava a mãe do Juarez...

É assim na maior simplicidade e intimidade que qualquer joinvilense lhe dirá onde é o Instituto Internacional Juarez Machado.

A transformação paisagística que ocorreu, parece não haver a menor importância para a indicação do endereço.

O aproveitamento físico externo e interno, manterá para sempre a lembrança da Sra Leonora Busch Machado, a mãe de Juarez Machado. A casa que ela sempre manteve muito bem conservada e com os jardins floridos, hoje é o Instituto Internacional Juarez Machado.

O artista de reconhecimento mundial, dispensa comentários. O que não dispensa comentário é o reconhecimento que temos que ter a este artista que corre o mundo e sempre retrata Joinville na sua essência de forma renovada.

No último andar, naquela janela lá alto (para não bagunçar a casa da mãe), Juarez instalou o seu "Atelier cenográfico". Algo como a criação do seu ambiente de trabalho nos moldes como gosta e se sente bem. 
Mesas, poltronas para recostar-se analisando suas pinturas, vasos para o descanso dos pincéis, música e trecos que vai juntando pelos caminhos por onde anda.
O bicicletário na frente da casa, é um antigo projeto da Prefeitura Municipal de Joinville, assim como a sua execução. 
O vitral (maravilhoso) da paleta de cores e pincéis, na porta de entrada, é desenho de Juarez Machado executado por Jeffrey West. 
O piso na varanda recebeu na restauração da casa o ladrilho hidráulico. Encomendado especialmente para compor o ambiente que remete à época da construção da casa.

Nessas caixas na parede, chamadas de vitrine, estão os pincéis e paleta de tintas usadas por Juarez Machado. Podem ser compradas como uma lembrança, um presente, um souvenir. 
*A palavra souvenir soou como um disparate. Mas foi esse o termo usado, por quem me explicou. 
Principalmente ao saber que todas as vitrines estão assinadas pelo artista.

O meu já esta garantido e pendurado na parede.


Nos fundos da casa de D.Leonora, Juarez projetou e construiu O Pavilhão de Exposições.
Uma típica construção alemã em estilo enxaimel com a iluminação zenital, técnica que permite a entrada de luz natural, comum nas indústrias, fábricas e galpões em Joinville.


Não é preciso ser um crítico de arte, conhecer técnica de pintura, ou entender de arte. Basta entrar e apreciar. ISTO É CULTURA e é em Joinville - Santa Catarina - Brasil.

No jardim interno, todo rampado para cadeirante, duas obras em aço recortado a laser se destacam. 
Aos seus pés o nome das obras, parecem recados bem humorados do autor.

A FILHA DA CHUVA.

Ciclistas. 
Mais uma obra a céu aberto de Juarez Machado. Em aço recortado a laser, colocada sobre o muro da casa ao lado, propriedade do Instituto, para futuros projetos. 
ADMIRÁVEL!!!! 


Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui) - 1- Foto do muro de vidro com placa indicativa do Instituto Internacional Juarez Machado. 2 - Foto da pequena casa reformada onde morava a mãe e Juarez Machado. 3 - Foto da porta de entrada com um vitral colorido de uma paleta de tintas e um pincel. No chão um porta guarda chuvas. 4 - Foto da primeira sala interna da casa. 5 - Foto de uma parede interna da com um quadro feito com os pincéis usados por Juarez Machado. 6 - Foto da vitrine do pincel que adquiri e está pendurada em minha casa. 7 - Foto da construção feita, em estilo enxaimel e vidros na parte superior, nos fundos da pequena casa, que comporta sala de exposição. 7 e 8 Foto do interior do Pavilhão de Exposição. 9 Foto do jardim externo com a obra em preto e branco feita em aço recortada a laser. 10 Foto da obra toda na cor rosa forte, A Filha da Chuva, retrata também em aço, uma mulher com um guarda chuva. 11 - Ciclista - São cinco ciclistas, feitas em cima do muro, na casa ao lado da principal, de pessoas andando de bicicleta.

3 comentários:

  1. Muito legal...nao conheci ainda. Mas a casa de Dona Leonora, já é uma típica construcao alema, com o piso superior (Dachgeschoß) com mansarda-muito usual na Alemanha e a janelinha com telhado, vulgarmente chamada de Kuckuck(em referencia ao pássaro Cuco). A entrada, com um Terrasse com seu piso restaurado e o principal que nao pode faltar, um Keller (um porao ou andar subterraneo) com as janelinhas de iluminacao e ventilacao.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Raquel!
    Bacana a sua apresentação do Instituto e a forma como organizaram a exposição. Noutro dia li que ele será homenageado no carnaval e fico feliz pq o brasileiro é meio ingrato com os seus compatriotas talentosos.
    As bicicletas... Que paixão por elas!
    :)
    Beijus,

    ResponderExcluir
  3. Bela, adorei o post.
    Beijos, Beta Campos

    ResponderExcluir