sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Uma Tarde para os Ipês



VOLTARAM OS IPÊS
                      Mila Ramos

Amado, voltaram 
os ipês!
E com eles, o 
amarelo paixão
que, de sangue, 
faz seiva 
e, de flores,
veste meu corpo sem folhas.

Infesta, amado meu,
de amor e
de ipês em flor,
outra vez,
minha canção de amor.



Durante anos ela escreveu e descreveu os ipês em versos e prosa. Quando ainda dirigia seu carro, quando tinha independência física, ela fazia da época da florada do ipê, um passeio obrigatório pelas rua Joinville. Fazia, como quem vistoria, rua a rua, à admirar o espetáculo que tanto pode durar uma semana, quanto um dia, se a chuva cair. 

Não deixe para amanhã a foto do ipê florido que você pode bater hoje.

Joinville está amarela de ipês por todos os lados. A movimentação na cidade, em torno do assunto, é tão grande, que daria para desencadear uma campanha. #ficaipe. 

Próximo de cada árvore é possível ver alguém parado, procurando o melhor ângulo para fotografa-la. Nas redes sociais, é quem mais pode mostrar o que seus olhos viram através das lentes do celular.

Toda foto tem um sentimento. Os ipês de hoje foram fotografados com os dela.
Mila Ramos, minha mãe-poeta, uma apaixonada por ipês.

                             


Mila Ramos minha mãe-poeta

PROMESSA
                      Mila Ramos
Não chores.
Abre a janela,
levanta a vidraça, 
e vê com que leveza esse
nordeste disfarça
o calor do outono que se vai

Não chores não
A chuva impertinente que acabou
anunciava a florada lá da serra,
mesmo no morro em que erra
a estrada e a servidão.
- Ali, vem ver,
o velho pé de ipê, já nu
e prenhe das flores que virão,
promete respingar todo o gramado







Nenhum comentário:

Postar um comentário