sábado, 26 de outubro de 2013

BookCrossing à Moda do Blog SuperLinda





                            Foto da capa de cinco livros libertados pelo BookCrossing



Estou participando do  BookCrossing Blogueiro a convite de Luz de Luma.

Uma idéia para fazer circular livros. 


É cultura, é educação. Participe.

Estou verdadeiramente na lida há algumas semanas, para que isso aconteça nos moldes da proposta original do projeto.

Criei o selo, separei livros da minha biblioteca tamanho "mínimo", pedi e ganhei livros, e estou "esquecendo" para na semana de 7 a 16 de novembro fazer o post oficial. 

Neste dia, não há de faltar banda de música, esquadrilha da fumaça e aplausos.

A primeira grande constatação desta primeira etapa, é o quanto as pessoas tem apego aos livros. Isto não é uma crítica, repito, é uma constatação. Quanto mais elas tem, mais elas querem ter e mais dificuldade tem de desvencilharem-se deles.

Mesmo assim, acho que consegui bastante livros.

Ao sair para fazer os primeiros "esquecimentos" comecei a ter uma certa preocupação: O que será que acontecerá com esse livro? Alguém o pegará? Será feito bom uso dele? 

Certamente se pensarmos assim, tudo isto vai transformar-se numa neura e não libertaremos nenhum livro. Pensei em algo como "desapega Raquel", a tua  obrigação é libertar o livro, o bom uso dele já não depende de ti. 

Provavelmente não muito convencida disso, tive uma idéia. 

Elegi três pessoas que sabidamente são "devoradoras" de livros, para libertar-los diretamente em suas mãos. Todos devidamente selados com o Selo do BookCrossing, mas com uma condição: Estes livros após lidos, serão passados a frente da mesma maneira como elas os receberam. 

É proibido guardar.

Hoje fiz a primeira entrega para uma das três escolhidas.

Foi gratificante ver seus olhos brilharem, quando "agarrada" ao livro O Cemitério de Praga de Umberto Eco, confessou-me que já havia ido à livraria para comprá-lo, mas por ser muito caro, ia aguardar um pouco e esperar baixar o preço.

Começo a sentir-me recompensada.




                                                               Selo do Bookcrossing Blogueiro do Blog SuperLinda.





7 comentários:

  1. Sim, Raquel!! Quando a pessoa pega o livro e lê o bilhete, a reação de surpresa é perceptível e muitos lêem novamente o bilhete para certificar se entenderam direito. Eu me sinto uma criança traquina!! :D A sua ideia de repassar os livros para amigos foi muito boa!! Vai ver que da próxima vez ficará mais à vontade para libertar para estranhos. Já deixei livros em consultórios, repartição pública, recepção de hotel, escolas... :)
    Estou adorando o seu empenho!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma tbem estou " esquecendo" na forma tradicional.

      Excluir
  2. Eu não tenho a mínima "pena" de deixar livro em alguns lugares na rua.
    Sei que terá alguém ávido por ele.
    E a minha sensação é de "dever cumprido".
    Temos que libertar, seja de que maneira for.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Libertar seja de que maneira for, esse é o objetivo.

      Excluir
  3. Menina é verdade, como as pessoas - eu entre elas - são apegadas aos queridos e amados "papeis pintados com tinta"... Meu primeiro bookcrossing foi um drama, vasculhei a estante inteira e só me desvencilhei de 1, depois fui aprimorando a arte, já fiz como você e dei o livro a uma pessoa certa, já fiz sorteio, já deixei em ônibus. Aliás, a prática de esquecer livros em ônibus urbano virou uma constante em minha vida.

    Esse ano fiz uma varredura geral na estante e consegui separar cerca de 30 títulos e meu plano secreto é fazer algo do tipo "Pegue e Leve" no meu trabalho.

    Mas, confesso que ainda tenho pensamentos acerca do fim de meus livros queridos. Será que eles vão ser bem recebidos? Será que eles vão parar no lixo? Não sei... Deixar um livro em um banco de ônibus ou de integração é como jogar pão sobre as águas... Mas continuo fazendo porque eu acredito muito na Bíblia e nela está escrito: " Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás." É por fé em dias melhores néh?!?!

    ResponderExcluir
  4. É, eu tenho problema com essa coisa de simplesmente largar o livro pra alguém encontrar...sei lá, essa coisa de deixar o livro a própria sorte tem lá seu romantismo, mas me parece aquela coisa da gente servir no almoço uma picanha deliciosa sem perguntar se a pessoa é vegetariana rs. Quem sabe um dia eu pense diferente, mas por enquanto eu vou libertar livros pras pessoas que digam que tem interesse em suas histórias.

    Eu já fui apegada aos livros. Hoje tento ser apegada a alguns livros.
    Tem livros que não ficam só nas prateleiras, eles ficam próximos da gente.

    Mas uma coisa que reparo hoje em dia é que tem muita gente que acumula livros só pra mostrar a estante em sites de literatura que expõe as coleções dos leitores.
    Nada contra, acho legal compartilhar os livros que a gente gosta, mas ficar juntando livros que as vezes a pessoa nem curtiu só pra fazer volume na estante me dá dó... dó dos livros, das histórias e personagens contidas neles....

    Fiquei feliz por você lembrar de mim nesse BookCrossing... E depois de ler o livro vou procurar alguém que também tenha interesse em viajar nas suas páginas :)

    ResponderExcluir
  5. Super legal esta idéia. Eu já tinha lido a respeito em outros blogs, mas confesso que ainda não libertei nenhum livro. Se eu o fizer, farei um post sobre isso :-).

    ResponderExcluir