terça-feira, 22 de março de 2016

CADASTRAMENTO BIOMÉTRICO - Último Dia


Minha mãe de 84 anos quer votar. Motivo mais do que suficiente para que ela exerça esse seu direito de cidadã brasileira. Não fosse por isso, ela é ativa intelectualmente, escreve, lê, assiste jornais, programas da GloboNews, discute política, com propriedade. Numa conversa informal fiquei sabendo que ela não havia feito o cadastramento biométrico. A dificuldade física de locomoção e para "não incomodar" ninguém, já que pela idade ela não precisa mais votar, quase a fez perdeu o prazo.

Último dia. Como era de se esperar a fila contornava a quadra do Posto da Justiça Eleitoral. 

Ela como idosa tem preferência e mesmo assim tinha um tempo razoável de espera. Contando com a excelente compreensão dos funcionários desse serviço, eles a acomodaram numa cadeira e eu fui para a fila. Quando chegasse a minha vez, ela seria atendida.
Mas, brasileiro sempre deixa um rastro para nos indignar. Das pessoas que ocupavam lugar na fila, 70% não tinha nenhuma necessidade especial. A grande maioria se fazia acompanhar de uma criança de colo, usando essa, de facilitador e furar a fila. Sim, isso é o mesmo que furar a fila. Pessoas ocupando o lugar e o tempo de quem realmente precisa de atendimento preferencial.

Nunca vi tanto homem saudável carregando criança no colo. Impressão nítida de quem pegou o sobrinho, a criança do vizinho ou até o mesmo seu próprio filho, que em casa, pouco tem o cuidado do pai.

Após 50 min minha mãe foi chamada e a atendente gentilmente me perguntou se eu também iria fazer o cadastro. Agradecida respondi que já havia feito o meu. 

Mas, o pensamento que me ocorreu foi um só:
_Quantas pessoas já haviam se aproveitado dessa possibilidade de acompanhante de idoso, para também furar a fila?


Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui)  Sequencia de três fotos batida da fila preferencial no Cadastramento Biométrico, mostrando homens com crianças no colo.

2 comentários:

  1. Não consigo entender essa lógica de rotular de aproveitador todos que estão nesta situação. Tenho um filho de 12 meses e não tenho com quem deixa-lo em casa, precisei leva-lo comigo para o recadastramento. Porém, uma criança dessa idade tem sua paciência muito limitada e tem necessidades mais urgentes do que crianças maiores, se alimentar e trocar as fraldas por exemplo. Ao meu ver, o uso da fila preferencial se encaixa no meu caso e não vejo nada de errado em utiliza-la.

    Como você disse "Nunca vi tanto homem saudável carregando criança no colo". Ora, mulheres com bebe de colo não são saudáveis? Sempre que uma mulher estiver com um bebe no colo, na fila, significa que ela não é saudável?

    A lógica de pessoas com bebe de colo usarem a fila preferencial é pelo BEBE e não pela pessoa em si.

    Claro que existem pessoas aproveitadoras, mas rotular todos da mesma forma, como se fosse um crime homens estarem com uma criança de colo na fila, é errado da mesma forma.

    ResponderExcluir
  2. Parri, minha intenção foi justamente defender pessoas que como você não tem com quem deixar suas crianças com alguém, pessoas idosas, grávidas.

    ResponderExcluir