sábado, 19 de março de 2016

IMPRENSA - IMPARCIAL OU TENDENCIOSA

Link da Imagem do blog serurbano
Usei várias vezes meu blog para opinar sobre a situação atual do Brasil.

Não preciso dizer mais nada. As notícias estão cada vez mais claras na mídia, ao alcance de quem quer enxergar. Dos cegos eu não dou conta.

Mas ainda há um assunto que considero relevante, como estudante de jornalismo que sou.

A imprensa. A imparcialidade dessa, a ética, a verdade, a credibilidade, o jornalismo, o jornalista. Estes são assuntos abordados diariamente nas aulas.

Durante esses últimos dias, o que mais tem chamado a minha atenção é a desconsideração de crédito que todos, alunos, professores e a classe jornalística, de um modo geral, têm em relação a seus colegas de profissão. Para esses, as notícias divulgadas não devem merecer credibilidade porque o veículo de comunicação, a Globo, não é imparcial. Para os governistas ela é tendenciosa, para os de esquerda, também. 

Ou seja só é verdadeira e imparcial a notícia que queremos ouvir.

Não vejo preocupação, entre a classe, em analisar a gravidade dos fatos, e sim, com o órgão de imprensa que os divulgou. No máximo, quando pressionados a comentar um fato específico, ao contrário de comprovar com argumentos que provem a sua verdade, apresentam as falcatruas dos adversários. Sendo essas divulgadas, devemos considerará-las verdadeiras?

Jornalista é um ser pensante, dotado da arte de transmitir uma informação. Tem opinião própria, feeling, tem seus princípios e seu partido político. 
Tanto é verdade, que Carta Capital, tida como um exemplo de neutralidade jornalística, foi citada no áudio de Lula "encomendando um artigo para Mino" sobre um assunto de seu interesse.
_Ah!!! Se fosse a Veja...

Que verdade estará sendo divulgada na imprensa internacional? Jornais como New York Times, Forbes, Wall Street Jornal, El País, Le Figaro, La Nacion também são tendenciosos? 
Em se tratando de notícia internacional, só temos a manifestação a favor de Dilma e Lula, do imparcial Maduro, que não é jornalista, nem imprensa. 

Mas não quero encerrar este post falando da situação política em si e insisto numa reflexão sobre a posição, ou talvez da oposição, que jornalistas, estudantes e professores de jornalismo fazem contra a sua própria classe.  

A grande verdade nisso tudo é que os fatos chegaram ao nosso conhecimento porque existe imprensa e jornalista. São tendenciosos? Sim. Todos somos.

O que não falta na faculdade é estudo sobre o futuro do jornalismo. Resta-me perguntar qual será o futuro de uma classe que não acredita nela mesma? 


3 comentários:

  1. Concordo que os jornalistas são tendenciosos como todas as pessoas o são. A questão é que os jornalistas tem um poder superior pois eles levam ao conhecimento do grande público os fatos que estão ocorrendo, fatos esses que, dependendo da maneira como colocados podem gerar todo o tipo de reação, desde as mais brandas às mais inflamadas. A imprensa tem um poder, o do conhecimento, da informação. Reter ou passar um informação traz reflexos e o tratamento dado as notícias e aos envolvidos tem que ser o mesmo. Estou totalmente estarrecida com os acontecimentos, fui pra rua contra a corrupção e estou pasma com a cara de pau de nosso governo. Todavia, a Globo por exemplo, não gastou muito tempo divulgando os protestos de sexta como fez com os de domingo passado. Partindo do pressuposto que as emissoras de TV, jornais, revistas e jornalistas exercem um papel de suma importância na sociedade como formadores de opinião, a preocupação com a imparcialidade é bastante válida. Os fatos estão aí, realmente só os cegos não querem ver. Mas é inequívoco, sob o meu ponto de vista óbvio, que algumas informações são mascaradas por jornalistas por serem contrárias às suas convicções. E isso é um problema. O que deveria ser divulgado é o que realmente aconteceu e não somente aquilo que está de acordo com as convicções do jornal ou do jornalista, sob o meu ponto de vista. Acho válida, portanto, a preocupação e a crítica que vc descreve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada seu comentário. Colocações muito pontuais e concordo com você. O que quero levar à reflexão é a inversão de valores que está acontecendo. Se jornalistas não acreditam na imprensa, quem acreditará? Grande abraço.

      Excluir
  2. Comentar como: site:http://www.superlinda.com/

    ResponderExcluir