sexta-feira, 1 de maio de 2015

A DIFÍCIL VIDA DE ESTUDANTE



É uma unanimidade a idéia de que a vida acadêmica rejuvenece. Conviver com jovens de opinião e pensamentos inteligentes contribuem muito com a agradável experiências de reviver situações que eu já havia esquecido.

Nesses dois primeiros meses de aulas alguns fatos foram marcantes.

_O debate sobre as manifestações de rua contra a corrupção do dia 12/04 no Anfiteatro do Ielusc. O aviso de que a presença era obrigatória para responder a chamada foi decisivo para dar-me conta de que estava voltando aos tempos de escola.

_Sentar numa arquibancada de um ginásio de esportes para assistir jogos de volei, basquete, handebol foi mais uma experiência pela qual há muito tempo eu não passava. Entrevistar organizadores, técnicos e participantes do 3 JIA (Jogos de Integração Acadêmica) constitui-se no primeiro exercício prático como estudante de jornalismo. 

_Cantina de faculdade. Este local é o reduto dos estudantes de qualquer faculdade. Em suas mesas formam-se verdadeiras reuniões para conversas sobre os fins de semana cada um com seu celular na mão. Ali é onde todos abrem os cadernos, apostilas e ligam seus computadores querendo nos últimos segundos antes da prova, absorver a matéria que não tiveram tempo de estudar em casa. Ah! Essa dura vida de estudante.

E o que dizer da falta de troco na cantina? 
_Não há o que dizer, pelo simples fato de que, quando a moeda feita em ficha de papelão é respeitada por todos, troco é o que não falta. 


Novidade mesmo, para quem fez uma faculdade em tempos quando nem se ouvia falar em telefone celular, foi a obrigatoriedade de todos deixarem seus aparelhos na entrada, como condição para fazer a prova semestral.
Marilia Crispi de Moraes, professora de Linguagem e Discurso, dá aula como quem brinca. Conhece o comportamento dos alunos propensos a uma inocente troca de mensagens como cola.

_Mas eu também professora? perguntei como quem se sente isenta de qualquer desconfiança.
_Claro. Você também é aluna, respondeu-me. 

Lá está o meu tablet. Ela com essa cara de doce megera,  aguarda que eu fotografe mas exige que eu entregue meu celular. 


Sou tratada como aluna, sem distinção de idade.
Bom mesmo seria se todo esse rejuvenecimento refletisse nas rugas (risos).

Descrição detalhada das fotos para acesso do deficiente visual (para saber mais clique aqui ) 1-Foto do vale troco da cantina. 2- Foto no Ginásio de Esportes. 3-Foto das mesas com o celulares e a professora Marilia. 

6 comentários:

  1. Adoreeeei! Sou professora universitária e sei o quanto alunos maduros fazem diferença na sala de aula! Aproveita o aprendizado pra ti, e deixa que outros aprendam contigo!!!
    Estive no IELUSC em fevereiro, num trabalho com professores...grupo comprometido, instituição séria; é bem possível que alguém lembre de mim! Abraços e que tenhas muito boas vivências!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marion, que bom ler este teu comentário, em especial sobre os elogios ao Ielusc. Obrigada.

      Excluir
  2. Raquel, pois acredito seriamente que esse rejuvenecimento irá refletir também nas rugas, pelo simples fato de ser uma atitude espontanea tua e consequentemente, vc passar mais tempo rindo e sorrindo...mens sana in corpore sano e vice-versa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvia. grande abraço e obrigada pelo incentivo de sempre.

      Excluir
  3. Uma experiência nova e gratificante!
    Parabéns! Seu futuro promete rsrs
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jô um grande abraço para a minha mais nova amiga desvirtualizada.

      Excluir